Opinião

Venha, Verdadeira Luz!

Venha, Verdadeira Luz! 19.08.2022Alexander Dugin

Hoje é o grande décimo segundo feriado – a Transfiguração do Senhor. A Festa da Transfiguração do Senhor, popularmente chamada de Salvador da Maçã, é de grande importância para a própria estrutura da época ortodoxa. Este não é apenas o fim do verão, esta é a dimensão espiritual mais elevada do que pode ser chamado de colheita.

Assim como o trabalho puro e sagrado do camponês – o ensolarado trabalho real de cultivar a terra e cuidar dos animais domésticos – dá a cada ano seus frutos concretos visíveis na forma de grãos, leite, vinho, ovos, carne e maçãs, assim a vida espiritual de um cristão deve ser coroada com a mais alta contemplação possível – contemplação da Transfiguração de Cristo no Monte Tabor. Visões da Luz Tabor incriada, na qual o Senhor foi transfigurado diante dos discípulos escolhidos, é o ápice do caminho espiritual de um cristão, o mais alto dos dons, o fim do caminho é estritamente ascendente, ao Filho de Deus, o Leve.

Teologicamente, o significado do feriado está associado ao momento do encontro dos dois Testamentos – o Antigo e o Novo. Cristo com três discípulos os apóstolos – Pedro, Tiago e João – sobe ao monte. Enquanto os discípulos dormem, Cristo ora a Deus Pai e este lugar escolhido é inundado de luz eterna. Acordando, os discípulos horrorizados e trêmulos viram como seu mestre Jesus estava falando nos raios da luz divina com dois anciãos – com Moisés e o profeta Elias. Se Jesus Cristo tivesse sido um profeta, então esta reunião teria provado seu valor profético. E isso é exatamente o que os discípulos horrorizados sugeriram: vamos, eles disseram, colocar aqui três santuários, cada um dos profetas – um santuário.

Eles aparentemente estavam certos na lógica do Antigo Testamento: os mais altos justos se encontraram do outro lado da vida e da morte à luz da verdade. Mas não era. Jesus Cristo não é um profeta e nem um continuador da tradição judaica. Ele é muito, muito mais. Ele é Deus e o Filho de Deus. E a luz na qual ele falava com os justos do Antigo Testamento não era comum – mas divina – aquela que brilhava quando não havia absolutamente nada – nem luz nem escuridão. E ele, Tabor Light já estava lá. E quando o mundo acabar, ele ainda vai brilhar. E para que os apóstolos, que iriam construir a Igreja do Novo Testamento, a Igreja do Filho de Deus, a Igreja da Santíssima Trindade e a incriada Luz Tabor, não tivessem dúvidas, uma Voz foi ouvida do céu: “ Este é Meu Filho Amado, em quem me comprazo; Ouça-o.” Assim, no Monte Tabor, a verdade cristã mais elevada foi revelada – a verdade sobre o Filho, sobre Deus a Palavra.

Um dos participantes deste sacramento ecumênico, o apóstolo João, escreve em seu Evangelho: “No princípio era o Verbo”. Ele aprendeu o que é a Palavra e o que é o Filho Amado de Deus, naquele exato momento no Monte Tabor. O Novo Testamento reconhece os justos e profetas do Antigo Testamento e os honra. Mas Jesus Cristo não é um deles. Ele é nosso Deus Verdadeiro, e é isso que distingue nossa Era Cristã da Graça da antiga Era Judaica da Lei.

No Monte Tabor, no momento da Transfiguração, isso foi revelado aos três apóstolos, e por meio deles aos demais e a toda a humanidade. Monges de Athos e anciãos russos acreditavam que ver a Luz do Tabor era o objetivo de toda a vida cristã. Com uma visão da Luz do Tabor, começa a façanha monástica do ancião russo Sofroniy Sakharov, que após esse presente foi da moderna e confortável Paris direto para a caverna selvagem de Athos. Afinal, não há nada mais caro e mais elevado do que a contemplação da eternidade. Mas para ver essa luz, ensinavam os anciãos hesicastas, é preciso colocar a mente no coração e purificar o coração das trevas da matéria, dos pecados e de toda aquela feiúra com a qual nosso coração é mais frequentemente preenchido. Afinal, como disse a Sophrony mais velha: “O verdadeiro caminho para a visão da Luz Divina passa pelo homem interior”. Enquanto não descobrirmos e cultivarmos o homem interior em nós mesmos, enquanto não estudarmos e purificarmos nossa essência, permaneceremos na escuridão. Afinal, tudo o que não é Tabor Light, em geral, é uma névoa contínua e impenetrável.

Hoje, as palavras de Simeão, o Novo Teólogo, citadas pelo ancião Sofroniy Sakharov, são muito apropriadas: “Vem, verdadeira Luz, vem, Vida Eterna; Venha, rebelião dos caídos; Venha, exaltação dos depostos; Venha, ressurreição dos mortos… Venha, ó Rei Santíssimo, Venha e habite em nós, E permaneça em nós implacavelmente, E reine supremo em nós, somente Tu para todo o sempre. Um homem”.

Fonte Internacional verificada

Via Kateh – Traduções CMIO REF9889

Conteúdo Internacional – Utilidade pública – Acadêmica

Disclaimer: Conteúdo de opinião, traduzido sem revisão – e sem responsabilidade por parte de CMIO.




Mostrar mais

CMIO

Conselho de Mídia Independente - Grupo independente, de atuação jornalística; baseado em SP. Replica e elabora conhecimentos e assuntos de utilidade pública.

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.