Opinião

Filosofia da política. O conceito de política

Filosofia da política. O conceito de política Filosofia políticaEurásia 20.01.2016Alexander DuginO que queremos dizer com os conceitos de “filosofia” e “política”?

Se soubéssemos exatamente o que é filosofia e o que é política, provavelmente viveríamos em um mundo diferente, ideal. Os melhores filósofos modernos não escreveriam inúmeros livros com títulos interrogativos como O que está pensando? (Martin Heidegger) ou “O que é filosofia?” (Gilles Deleuze). Martin Heidegger escreveu: “O fato de estarmos obstinadamente engajados nos escritos de grandes pensadores durante anos não garante que estejamos pensando, ou mesmo prontos para aprender a pensar”.

A luz interior de Sofia

A filosofia é uma viagem ao interior. A palavra grega “filosofia” consiste em duas raízes: “filo” (filo) e “sophia (sofia). “Philo” – significa “amor”, “gravitação”, “atração”, “esforço por”; “sophia” – “sabedoria”, portanto, “filosofia” (filosofia) é “amor à sabedoria”. É para “sabedoria”, e não para “conhecimento”, “habilidade” ou “poder”. “Sophia” (“sabedoria”) – Palavra grega Significa uma realidade que é difícil de compreender – nos iludindo, inteira e não passível de divisão em partes.

Palas Atena, deusa da sabedoria e do conhecimento, guerreira invencível, protetora das cidades e padroeira das ciências.

Por “sabedoria” os antigos entendiam a deusa (os gregos, em particular, a deusa Pallas, Pallaz), um ser sobre-humano, um arquétipo que reside dentro de todas as coisas e seres como um protótipo celestial de sua existência terrena, sua ideia”. Sophia” está oculta, iludindo nossos sentidos, e até mesmo de nossa mente, a mais sutil substância espiritual, “uma luz invisível derramada nas coisas do mundo“. A busca por ela, a atração por ela é o conteúdo do processo de filosofar.

O conceito de “sabedoria” em nossa sociedade é altamente desacreditado: apenas um herói cômico pode se apresentar seriamente como um “sábio” – são justamente os personagens do bobo da corte que associamos à ideia de um “sábio” hoje. A tradução eslava direta do termo “filosofia” – “amor à sabedoria” – soa arcaica e um tanto absurda. O conceito de “sabedoria” claramente não faz parte do arsenal moderno de palavras comumente usadas. Portanto, pensando seriamente no que é “sophia”, que os filósofos buscam e “amam”, teremos dificuldade: a cultura ao nosso redor se opõe deliberadamente a essa intenção, tentando dissipar nossa seriedade transformando tudo em piada ou trocadilho.

O conceito de “interno”

A filosofia é uma atração por uma instância sutil, “localizada” no interior das coisas e sendo, de certa forma, seu denominador comum.

É preciso definir o que é “interno”. É claro que “interno” não é uma indicação de uma localização física. Pelo contrário, é a instância onde as raízes invisíveis e ocultas das coisas, fenômenos, eventos, seres estão localizadas. Voltamo-nos para o “interior” sempre que experimentamos choques, profunda insatisfação, desespero, grave decepção no curso normal das coisas. O “interno” se revela quando surge uma lacuna no “externo”, quando a insatisfação com o ordinário e banal se torna insuportável para nós, quando nossa consciência busca dolorosamente respostas para questões que não existem e não podem existir na superfície. Uma pessoa pode teoricamente viver sem o “interno”. Sem o “interno” ele pode se desenvolver, aprender, trabalhar e morrer. Mas tal vida será privada em seu núcleo da coisa mais importante – um elemento indescritível, indescritível, sem o qual, em essência, a vida não é vida. A filosofia lida profissionalmente com essa dimensão sutil, que, por um lado, parece ser totalmente opcional para a maioria e, por outro, é fundamentalmente necessária e constitui o eixo oculto do ser.

Vivemos há muito tempo no “mundo moderno”, onde a ideia de “Sophia”, “interior”, etc. firmemente movido para a periferia da atenção científica e pública. Portanto, o conceito de “filosofia” é usado hoje mais por hábito, como um tributo à inércia. E isso significa algo muito aproximado. Dificilmente conseguimos entender o significado que os antigos atribuíam a esse termo.

Sabedoria e Ser

Segundo os antigos, a sabedoria está associada não apenas à consciência e à cognição, mas diretamente ao ser, com seu mistério, com o lado oculto da realidade. A esse respeito, podemos dizer que a sabedoria, como foi entendida pelos antigos e posteriores seguidores da antiga tradição de pensamento, é uma realidade ontológica.

Na visão dos gregos antigos, que primeiro usaram o termo “filosofia” (“amor à sabedoria”), a natureza da “sophia” pela qual o “filósofo” (“buscador da sabedoria”) é “atraído” coincide com o natureza do ser. “Sophia” não é apenas conhecimento, um conjunto de ideias, uma “visão de mundo“, mas uma “fatia leve do ser”, sua parte de raiz profunda. “Filosofia” em seu sentido original é ontologia, “a ciência do ser”.

Definição de política

A política é o campo de aplicação das mais altas habilidades de um ser humano a uma realidade específica

Um dos primeiros pensadores a compreender profundamente a política foi Aristóteles. Ele a chamou de “a mais alta das artes”. Aristóteles via na política “a forma mais elevada da existência coletiva das pessoas”. Ele considerava o homem como um animal político (em grego “zoon politikon”). “Uma pessoa por natureza é um ser político, e aquele que, em virtude de sua natureza, e não devido a circunstâncias aleatórias, vive fora do Estado, é uma criatura subdesenvolvida no sentido moral ou um super-homem”, escreveu ele.

Sobre o Estado, “polis”, de onde vem a palavra “política”, na mesma obra Aristóteles escreveu: “Primário por natureza é o Estado em comparação com a família e cada um de nós; afinal, é necessário que preceder a parte.” E ainda: “O Estado existe por natureza e por natureza precede cada pessoa; visto que esta, estando em um estado isolado, não é um ser autossuficiente, sua relação com o Estado é a mesma que a relação de qualquer parte com seu E aquele que não é capaz de entrar em comunicação ou, considerando-se um ser auto-suficiente, não sente necessidade de nada, não constitui mais um elemento do estado, tornando-se um animal ou uma divindade.

A política é uma generalização consciente da existência humana, uma esfera onde a compreensão do geral, objetivo e em grande escala está associada a uma ação destinada a afirmar as conclusões extraídas dessa compreensão. Em outras palavras, a política incorpora a visão de uma pessoa (como parte de um organismo social e coletivo) 1) sobre o passado, 2) uma compreensão em larga escala desse passado e 3) a implementação subsequente das conclusões feitas, ou seja, sua projeção volitiva sobre o mundo circundante no presente, predeterminando o curso do futuro

Para entender o que é política, vamos imaginar que uma pessoa que vive de acordo com a lógica estabelecida (família, trabalho, lazer) de repente começa a pensar de onde vem ele mesmo, seu povo, o estado, o mundo? Gradualmente, ele desenvolve uma compreensão de que participa do fluxo de eventos, ações e estados não por acaso, que seu ser é em grande parte predeterminado por sua família, …

Fonte Internacional verificada

Via Kateh – Traduções CMIO REF9889

Conteúdo Internacional – Utilidade pública – Acadêmica

Disclaimer: Conteúdo de opinião, traduzido sem revisão – e sem responsabilidade por parte de CMIO.




Mostrar mais

CMIO

Conselho de Mídia Independente - Grupo independente, de atuação jornalística; baseado em SP. Replica e elabora conhecimentos e assuntos de utilidade pública.

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.