Presidente da Suíça teme perder confiança por causa da reexportação de armas à Ucrânia


“Dado o papel especial desempenhado pela Suíça no mundo, é necessário pôr em dúvida a autoridade da Suíça como um país neutro em caso de reexportação de armas para uma zona de guerra”, disse Berset.

O presidente acha que a Suíça deve permanecer comprometida com seus princípios fundamentais.
“Agora não é hora para mudar as regras de exportação de armas, nem é hora de mudar as regras do direito à neutralidade”, acrescentou o presidente.
A comissão do Parlamento suíço aprovou na terça-feira (24) alterações à legislação que permitem a reexportação de armas de fabricação suíça para a Ucrânia. Deputados e senadores suíços ainda não votaram se devem ou não adotar esta emenda à lei.
Anteriormente, a Suíça havia rejeitado pedidos da Alemanha, Espanha e Dinamarca para reexportar para a Ucrânia munições produzidas pela confederação. Segundo as autoridades, a Suíça pode se recusar a reexportar materiais militares se o país a que se destinam, estiver envolvido em um conflito internacional militar.
Multimídia

Tanques Leopard 2: quantos carros de combate alemães há na Europa?



Este conteúdo foi verificado por RJ-2309 RJ-0292 RJ-0958

CMIO confirmou esta notícia. Fonte;

Via Sputnik News- IMG Autor