O embaixador em Riga disse que as autoridades letãs estão incitando a histeria anti-russa

MOSCOU, 24 de janeiro – RIA Novosti. As autoridades letãs estão incitando a histeria anti-russa e apresentando a Rússia como um vizinho agressivo, mas ao mesmo tempo entendem que “nenhuma invasão” ocorrerá, disse o embaixador russo na Letônia, Mikhail Vanin.
“Eles (as autoridades da Letônia), é claro, não têm medo, porque entendem que não haverá invasão. Mas incitar essa histeria é, como dizem, uma linha que eles seguem constantemente. Eles excitam a opinião pública, expõem nosso país como um inimigo, um vizinho agressivo”, disse Vanin no programa “60 minutos” do canal de TV “Rússia 1″.

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia prometeu uma resposta ao rebaixamento do nível de relações diplomáticas da Letônia

Além disso, é “uma tentativa de apoiar a linha seguida por seus vizinhos – Estônia, Lituânia e Polônia, para que a Ucrânia receba o maior número possível de armas ocidentais”, acrescentou.
Anteriormente, a Letônia exigiu que o embaixador russo Mikhail Vanin deixasse a república antes de 24 de fevereiro, ao mesmo tempo em que o embaixador letão Maris Riekstins deixaria a Rússia, disse o Ministério das Relações Exteriores da Letônia em um comunicado.
A Rússia já havia enviado uma nota aos países da OTAN por causa do fornecimento de armas à Ucrânia. O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, observou que qualquer carga que contenha armas para a Ucrânia se tornará um alvo legítimo para a Rússia. O Ministério das Relações Exteriores da Federação Russa afirmou que os países da OTAN estão “brincando com fogo” ao fornecer armas à Ucrânia. O secretário de imprensa do presidente da Federação Russa, Dmitry Peskov, observou que bombardear a Ucrânia com armas do Ocidente não contribui para o sucesso das negociações russo-ucranianas e terá um efeito negativo.

A Letônia continuará a comprar armas, apesar da ausência de ameaças militares



Conteúdo traduzido por RJ983

Agência RIA Novosti – Verificado