Postura da Alemanha sobre tanques para Ucrânia prejudica confiança no setor de defesa alemão, diz FT


De acordo com a publicação, no contexto dessa situação, autoridades polonesas e eslovacas, bem como os industriais alemães, alertam que “futuras compras e cooperação militar” estão sob ameaça.
Após o início da operação militar especial, a União Europeia (UE) e a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) tentaram “encorajar os governos europeus a trabalhar em projetos conjuntos de defesa, mas a indignação causada pela recusa do chanceler alemão Olaf Scholz em permitir a exportação de tanques Leopard 2 para Kiev deu a outros países motivos para duvidar das qualidades de parceria da Alemanha“, cita a publicação as palavras de funcionários.
Como observado, as fabricantes de armas na Alemanha temem que a história dos tanques prejudique o potencial do setor.
Anteriormente, o Financial Times informou que as ações das empresas de defesa na Alemanha subiram após o início da crise na Ucrânia devido ao aumento da demanda.
Panorama internacional

Borrell diz que Alemanha está bloqueando iniciativas da UE para enviar tanques para a Ucrânia

O novo ministro da Defesa alemão, Boris Pistorius, após uma reunião do grupo de contato sobre o apoio à Ucrânia, explicou que a Alemanha ainda não está pronta para fornecer tanques Leopard à Ucrânia, mas nomeou uma inspeção desse tipo de tanques para avaliar o cenário de uma decisão positiva no futuro.
O vice-ministro das Relações Exteriores da Polônia, Arkadiusz Mularczyk, que anunciou sua prontidão para fornecer seus tanques Leopard 2 para a Ucrânia, se autorizado pela Alemanha, observou que a Alemanha cairá em isolamento internacional se não der tal consentimento.
A Rússia já havia enviado uma nota aos países da OTAN sobre fornecimentos de armas à Ucrânia. O chancheler russo, Sergei Lavrov, observou que qualquer carga que contenha armas para a Ucrânia se tornará um alvo legítimo para a Rússia.
O Ministério das Relações Exteriores russo afirmou que os países da Aliança Atlântica “brincam com fogo” ao fornecerem armas a Kiev. O porta-voz do presidente da Federação da Rússia, Dmitry Peskov, observou que o fornecimento de armas à Ucrânia pelo Ocidente não contribui para o sucesso das negociações entre a Rússia e a Ucrânia e terá um efeito negativo. O ministro russo Lavrov afirmou anteriormente que os Estados Unidos e a OTAN estão diretamente envolvidos no conflito na Ucrânia, “não apenas no fornecimento de armas, mas no treinamento” de militares ucranianos no Reino Unido, Alemanha, Itália e em outros países.



Este conteúdo foi verificado por RJ-2309 RJ-0292 RJ-0958

CMIO confirmou esta notícia. Fonte;

Via Sputnik News- IMG Autor