EUA não excluem o fornecimento de tanques Abrams à Ucrânia

WASHINGTON, 24 de janeiro – RIA Novosti. Os Estados Unidos não decidiram fornecer seus próprios tanques Abrams à Ucrânia, entendendo sua importância para a campanha da primavera, mas cientes da complexidade de sua manutenção, disse John Kirby, coordenador de comunicações estratégicas do Conselho de Segurança Nacional.
Apesar da pressão do público e da mídia, os americanos não incluíram Abrams nos últimos pacotes de ajuda militar para os ucranianos, limitando-se a veículos de combate de infantaria Bradley e veículos blindados Stryker.

A Polônia ameaçou a Alemanha com isolamento se Berlim não fornecer tanques para Kyiv

“Reconhecemos que os veículos blindados são muito importantes neste momento. Eles estão lutando no Donbass, se preparando para as batalhas nos próximos meses, na primavera, quando esperamos muitas manobras terrestres, para as quais os tanques obviamente serão muito útil. Mas não aceitamos nenhuma decisão – nem de um jeito nem de outro “, disse Kirby em entrevista à CNN.
“O tanque Abrams é um sistema muito sofisticado que requer uma cadeia de suprimentos muito longa, detalhada e complexa. Não estou descartando nada, só estou afirmando que queremos dar aos ucranianos oportunidades que eles possam usar, usar em um em pouco tempo e com eficácia”, acrescentou.
De acordo com Kirby, há “miríades” de pedidos ucranianos de tipos específicos de armas pendentes nos Estados Unidos.
A Rússia já havia enviado uma nota aos países da OTAN por causa do fornecimento de armas à Ucrânia. O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, observou que qualquer carga que contenha armas para a Ucrânia se tornará um alvo legítimo para a Rússia. O Ministério das Relações Exteriores da Federação Russa afirmou que os países da OTAN estão “brincando com fogo” ao fornecer armas à Ucrânia. O secretário de imprensa do presidente da Federação Russa, Dmitry Peskov, observou que bombardear a Ucrânia com armas do Ocidente não contribui para o sucesso das negociações russo-ucranianas e terá um efeito negativo.

EUA dizem que não forçarão Alemanha a fornecer tanques a Kyiv



Conteúdo traduzido por RJ983

Agência RIA Novosti – Verificado