Resposta de Biden sobre escândalo de documentos classificados é 'notavelmente burra', diz jurista


O Departamento de Justiça dos EUA informou no sábado (21) que encontrou pelo menos seis documentos confidenciais do governo durante uma busca realizada na casa de Biden em Wilmington, Delaware, como parte da investigação ordenada pelo procurador-geral Merrick Garland.
No total, as autoridades norte-americanas encontraram três pacotes de documentos, dois deles aparentemente gerados quando Biden era vice-presidente nos tempos de Barack Obama, e o mais recente relacionado ao seu período como senador, entre 1973 e 2009.
A princípio, Biden garantiu que não tinha conhecimento do teor dos documentos e que cooperaria com as investigações para esclarecer o caso, no entanto, ele também disse que não se arrepende de nada.

“Estamos cooperando totalmente e esperamos resolver isso rapidamente. […] Acho que você descobrirá que não há nada aí. Não me arrependo. Estou fazendo o que os advogados me disseram que querem que eu faça. Isso é exatamente o que estamos fazendo. Não existe um ‘lá, lá'”, declarou o presidente.

Panorama internacional

Mais 6 documentos classificados são encontrados na casa da família de Biden

A reação do presidente norte-americano gerou uma série de críticas, entre elas a do jurista Jonathan Turley, que qualificou as declarações de Biden de “desconcertantes”, “francamente irritantes” e até “notavelmente tolas”.

“Ou o presidente acredita que o conselheiro especial, Robert Hur, vai encobrir tudo ou está fazendo todo o possível para forçá-lo a fazer uma acusação criminal”, disse Turley.

O advogado chegou a considerar que teria se sentido “mortificado” se seu cliente fosse Joe Biden e rejeitou uma acusação tão grave quanto a posse de documentos sigilosos, no entanto, comentou que esta resposta é de um “Biden clássico”, já que o político “sempre soube expressar melhor a repulsa do que a responsabilidade”.
Turley considerou que essa atitude já teve impacto na opinião pública, já que várias pesquisas qualificam a conduta de Biden como negligente.

“Embora o presidente não se arrependa, o público esmagadoramente sim.[…] Quase dois terços acreditam que o Congresso deveria investigar o presidente, incluindo a maioria dos democratas. 60% acreditam que ele agiu de forma inadequada com material classificado”, comentou o especialista.

Personagens como o senador republicano pelo Texas, Ted Cruz, se juntaram aos questionamentos sobre a descoberta de novos documentos sigilosos, por meio de sua conta no Twitter, bem como da conta do Comitê de Fiscalização da Câmara dos Representantes do Partido Republicano, que chegou a brincar com a situação ao perguntar se “a caça ao tesouro” havia acabado.
NOVAMENTE?!? Como diabos eles continuam estragando tudo? Como Biden diz repetidamente, “todo mundo sabe como levo a sério os documentos confidenciais”. Sim. Sim, nós sabemos
Outros republicados como Darrell Issa, da Califórnia, e Rick Scott, da Flórida, fizeram postagens semelhantes criticando o fato de Biden não ter dado uma explicação concreta para as descobertas.
Até ao momento, não foi aberta nenhuma investigação adicional levada a cabo pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos, mas o presidente da Câmara dos Representantes, Kevin McCarthy, garantiu que estão a preparar uma investigação adicional ao caso.





Este conteúdo foi verificado por RJ-2309 RJ-0292 RJ-0958

CMIO confirmou esta notícia. Fonte;

Via Sputnik News- IMG Autor