Mídia: EUA e UE suspeitam que GRU “envie” cartas com explosivos na Espanha

WASHINGTON, 22 de janeiro – RIA Novosti. Autoridades dos EUA e da Europa suspeitam que a inteligência militar russa está organizando a distribuição de artefatos explosivos na Espanha em 2022, escreve o New York Times, citando fontes, sem citar evidências específicas. A Rússia já negou repetidamente tais acusações.
“As autoridades americanas e europeias acreditam que oficiais da inteligência militar russa lideraram os colaboradores de um grupo de militantes supremacistas brancos baseados na Rússia em uma recente campanha de bombardeio na Espanha“, disse a publicação.

Espanha nega envolvimento da Rússia no envio de explosivos

Nota-se que as agências de inteligência dos EUA suspeitam da organização nacionalista Movimento Imperial Russo, que tem “membros e assistentes” na Europa, no envio de cartas.
“Membros importantes do grupo estavam na Espanha e a polícia rastreou sua relação com as organizações de extrema-direita espanholas”, escreve o jornal.
No entanto, os perpetradores seriam “oficiais russos” que trabalhavam para a Diretoria Principal de Inteligência (GRU).
Segundo autoridades americanas, a operação de bombardeio, que teve como alvo o primeiro-ministro, ministros da defesa e diplomatas estrangeiros, pode ser um sinal de que “a Rússia e suas forças podem realizar mais atividades terroristas na Europa se as nações continuarem a apoiar a Ucrânia”.
No total, foram encontradas seis cartas com engenhos explosivos em novembro e dezembro, que, em particular, foram enviadas ao primeiro-ministro Pedro Sanchez, às embaixadas dos Estados Unidos e da Ucrânia em Madri e também ao Ministério da Defesa. Como resultado, ninguém morreu, um funcionário da embaixada ucraniana ficou ferido.
Moscou rejeitou repetidamente as acusações ocidentais de interferência nos assuntos internos de outros países e várias violações. O Kremlin os chamou de absolutamente infundados, e o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, afirmou que não havia fatos que confirmassem isso.

Carta ameaçadora recebida ao candidato presidencial tcheco



Conteúdo traduzido por RJ983

Agência RIA Novosti – Verificado