Pentágono confirma novo tipo de veículo de combate para a Ucrânia – CMIO

Um enorme novo pacote de armas ainda fica aquém das demandas de Kiev por blindagem mais pesada

O governo dos Estados Unidos autorizou outros US$ 2,5 bilhões em ajuda militar para a Ucrânia, incluindo milhares de foguetes e projéteis de artilharia, bem como o primeiro carregamento de veículos de combate Stryker.

O Pentágono anunciou o novo pacote de armas na quinta-feira, marcando a trigésima redução dos estoques do Departamento de Defesa desde o início do conflito na Ucrânia no ano passado. Além de 90 Strykers e uma variedade de outros veículos blindados, Washington fornecerá 95.000 projéteis de artilharia de 105 milímetros, munição adicional para a plataforma de foguetes de lançamento múltiplo HIMARS, um número não especificado de munições para o Sistema Nacional Avançado de Mísseis Superfície-Ar (NASAMS) e oito sistemas de defesa aérea Avenger, entre outros equipamentos.

Em serviço desde 2002, o Stryker de oito rodas pode ser equipado com uma variedade de armamentos principais, dependendo do modelo, incluindo a metralhadora M2, o lançador de granadas MK19 ou a metralhadora Bushmaster MK44 de 30 mm. O Pentágono não disse qual variante Kiev receberia, apenas observando que os 90 Strykers viriam com 20 rolos de minas terrestres.


EUA enviando armas discretamente de Israel para a Ucrânia – NYT

O Departamento de Defesa disse que também enviaria 59 veículos de combate Bradley, somados aos 50 já autorizados no início deste mês. Funcionários apelidaram a plataforma de “assassino de tanque”, já que vem montado com mísseis TOW antiblindados, e sugeriram que poderia ser útil em futuras ofensivas contra as forças russas. Outros 590 mísseis TOW foram incluídos no pacote de armas de quinta-feira, elevando o total para 2.590.

Embora Washington tenha aprovado mais de US$ 27 bilhões em ajuda militar direta a Kiev no ano passado, as autoridades ucranianas continuaram a pedir armas mais poderosas, como o tanque principal de batalha M1 Abrams. A administração de Joe Biden ainda não cedeu a esse pedido, mas alguns parceiros ocidentais estão cada vez mais dispostos a fornecer armas semelhantes, com o Reino Unido prometendo enviar um esquadrão de tanques Challenger 2 no início desta semana.

Berlim também está sob pressão para fornecer seus próprios tanques de batalha Leopard, mas até agora se recusou a fazê-lo, também impedindo outras nações de enviar o veículo de fabricação alemã para a Ucrânia.


General polonês sugere 'mobilizar' refugiados ucranianos

Os membros da Otan e alguns países da UE devem realizar uma reunião na Alemanha na sexta-feira para discutir a possibilidade de armas mais pesadas para Kiev, embora ainda não esteja claro se as disputas sobre os tanques foram resolvidas. De acordo com uma fonte do governo alemão citada pela Reuters, Berlim levantará suas objeções ao envio de Leopards somente depois que Washington concordar em fornecer o M1 Abrams.

A Rússia alertou repetidamente contra a continuação da ajuda militar ocidental à Ucrânia, insistindo que isso só aumentará e prolongará o conflito. Após o anúncio de Londres de que enviaria tanques na segunda-feira, o Kremlin disse que os veículos “vai queimar como o resto [of the weapons],” insistindo que não mudariam a situação no campo de batalha.

Verificado por RJ983

Conteúdo traduzido

Ver fonte

Scroll to Top