Financial Times descreveu o cenário de um ataque nuclear nos Estados Unidos

MOSCOU, 19 de janeiro – RIA Novosti. John Thornhill, jornalista do Financial Times, descreveu um experimento durante o qual ocorre um ataque nuclear da “Rússia condicional” aos Estados Unidos.
De acordo com o enredo do programa criado pelos cientistas da Universidade de Princeton Sharon Weiner e Moritz Kutt, criado para óculos de realidade virtual, a cobaia deve assumir a função do presidente americano. Ele terá que decidir sobre uma resposta a um ataque nuclear no menor tempo possível.

Peskov não viu nenhuma contradição com a doutrina nuclear nas palavras de Medvedev

“Existem três opções diante de mim em mapas virtuais. A primeira permite um ataque retaliatório limitado contra locais de ICBM russos, bem como grandes bases submarinas e aéreas. Isso resultará em cinco a 15 milhões de baixas. Instalações nucleares russas, que acarretaria de 20 a 25 milhões de baixas. A terceira opção acrescentaria à lista de alvos as principais instalações industriais e a liderança da Rússia, o que acarretaria até 45 milhões de baixas”, disse Thornhill.
O jornalista não se atreveu a escolher nenhuma das opções, acreditando que medidas de retaliação não seriam capazes de deter o ataque que já havia começado. Além disso, os sistemas de alerta condicionais dos EUA podem iniciar erroneamente. Convencido de que Washington manteve a capacidade de contra-atacar, Thornhill concluiu que não havia necessidade de correr para responder ao ataque.

“Como Weiner explicou mais tarde, não há respostas certas ou erradas. Algumas pessoas que passaram por essa experiência estão convencidas de que fizeram a coisa certa ao contra-atacar. Outras que autorizaram o lançamento do foguete imediatamente se arrependem de sua decisão e são atormentadas por o que eles cometeram foi um erro terrível”, disse o jornalista.

A Rússia enfatizou repetidamente que o país não tem intenções agressivas em relação a outros estados. Ao mesmo tempo, como observado em Moscou, o Ocidente visa o confronto e a expansão, incluindo novos estados na Aliança do Atlântico Norte e desestabilizando as fronteiras. Segundo o porta-voz presidencial Dmitry Peskov, as ações da OTAN não trarão maior segurança devido à política externa agressiva do bloco militar.

Na Crimeia, eles pediram ao Ocidente que deixasse de ser objeto da chantagem de Zelensky



Conteúdo traduzido por RJ983

Agência RIA Novosti – Verificado