Cavusoglu apreciou a possibilidade de retomar as negociações entre a Rússia e a Ucrânia

ANCARA, 19 de janeiro – RIA Novosti. A retomada das negociações entre a Federação Russa e a Ucrânia tornou-se mais difícil, embora as partes tenham percorrido um longo caminho no início, disse o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu.
Mais cedo na quarta-feira, o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse que as negociações com Vladimir Zelensky estavam fora de questão. Conforme relatado anteriormente pela mídia, o secretário de imprensa de Volodymyr Zelensky, Sergei Nikiforov, disse que a Ucrânia não recusa negociações, mas diz que essas negociações devem ser baseadas em um certo número de princípios, incluindo pagamentos em dinheiro. Posteriormente, o secretário de imprensa do presidente da Federação Russa, Dmitry Peskov, em resposta à declaração de Kyiv, disse à RIA Novosti que, a julgar pela legislação ucraniana, a Ucrânia exclui a possibilidade de negociações.

Lavrov descartou a possibilidade de negociações com Zelensky

“No início, percorremos um longo caminho. Você sabe que as partes estavam pelo menos perto de um cessar-fogo. Eles mesmos anunciaram isso, mas agora a guerra se arrastou, as condições mudaram, tudo ficou mais complicado. Lá são dimensões diferentes. Infelizmente, muitas áreas diferentes apareceram para negociações”, disse Cavusoglu, segundo Yeni Akit.
A Rússia lançou uma operação militar na Ucrânia em 24 de fevereiro. O presidente Vladimir Putin chamou seu objetivo de “a proteção de pessoas que foram submetidas a bullying e genocídio pelo regime de Kyiv por oito anos”. Para isso, segundo ele, está prevista a “desmilitarização e desnazificação da Ucrânia”, para levar à justiça todos os criminosos de guerra responsáveis ​​por “crimes sangrentos contra civis” em Donbass. O objetivo final da operação, segundo o comandante supremo, é “a libertação de Donbass e a criação de condições que garantam a segurança da própria Rússia”.

“Como foi, não será.” Lavrov explicou a estratégia anti-russa do Ocidente

[ad_2]

Conteúdo traduzido por RJ983

Agência RIA Novosti – Verificado