Scholz chamou a condição para o fornecimento de tanques Leopard 2 para a Ucrânia, informou a mídia

BERLIM, 18 de janeiro – RIA Novosti. O chanceler alemão, Olaf Scholz, em conversa com o presidente dos EUA, Joe Biden, na terça-feira, deixou claro que a Alemanha forneceria à Ucrânia tanques Leopard 2, mas com a condição de que o lado americano fornecesse tanques de batalha Abrams, informou o jornal alemão Süddeutsche Zeitung, citando suas fontes.
“O chanceler está obviamente pronto para fornecer tanques Leopard 2 à Ucrânia. Mas apenas com a condição de que os Estados Unidos também forneçam tanques de guerra”, aponta a publicação. Esclarece-se que em conversa telefônica com Biden na terça-feira, Scholz deixou claro que a Alemanha poderia ceder à pressão na questão do abastecimento, mas apenas se os EUA fornecessem tanques Abrams.

Zakharova comentou as palavras de von der Leyen sobre “qualquer” arma para a Ucrânia

O chanceler alemão, falando no Fórum Econômico Mundial em Davos na quarta-feira, lembrou que a Alemanha está entre os países líderes em termos de apoio à Ucrânia e garantiu que seu país continuará prestando assistência. Ao mesmo tempo, sublinhou que o seu país não quer passos unilaterais, todas as decisões são tomadas em coordenação com os aliados, em particular, com os Estados Unidos, que “desempenham um papel importante nesta matéria”.
A Alemanha até agora se absteve de entregar o Leopard 2 para a Ucrânia. Nos últimos dias, a pressão sobre o chanceler alemão neste assunto aumentou visivelmente. Vários chefes de estado da UE pediram publicamente a Scholz que tomasse uma decisão sobre o fornecimento.
A Rússia já havia enviado uma nota aos países da OTAN por causa do fornecimento de armas à Ucrânia. O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, observou que qualquer carga que contenha armas para a Ucrânia se tornará um alvo legítimo para a Rússia. O Ministério das Relações Exteriores da Federação Russa afirmou que os países da OTAN estão “brincando com fogo” ao fornecer armas à Ucrânia. O secretário de imprensa do presidente da Federação Russa, Dmitry Peskov, observou que bombardear a Ucrânia com armas do Ocidente não contribui para o sucesso das negociações russo-ucranianas e terá um efeito negativo. O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse anteriormente que os Estados Unidos e a OTAN estão diretamente envolvidos no conflito na Ucrânia, “incluindo não apenas o fornecimento de armas, mas também o treinamento de pessoal” no Reino Unido, Alemanha, Itália e outros países.

A Duma Estatal anunciou um novo mercado negro devido ao fornecimento de armas para a Ucrânia



Conteúdo traduzido por RJ983

Agência RIA Novosti – Verificado