O Ocidente está tentando causar discórdia nas relações entre a Rússia e a China, disse Lavrov

MOSCOU, 18 de janeiro – RIA Novosti. As relações entre a Rússia e a China estão passando pelo melhor momento da história, embora o Ocidente esteja abertamente tentando trazer discórdia para eles, disse o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, na quarta-feira.
“Nossas relações com a República Popular da China certamente estão vivendo os melhores momentos da história dessas relações. Nossos líderes, o presidente Putin e o presidente Xi Jinping, falam sobre isso. Está escrito em documentos, o último dos quais foi adotado em fevereiro , quando o presidente da Rússia visitou a RPC”, disse Lavrov durante uma coletiva de imprensa sobre os resultados das atividades da diplomacia russa em 2022.

O Ocidente está confuso. O caos está fora de controle

O ministro lembrou que na China as relações com a Rússia são avaliadas não como uma aliança ou aliança, mas como “algo que é mais forte que uma aliança em muitos aspectos – relações pragmáticas, de confiança e respeito mútuo baseadas no equilíbrio de interesses”.
Segundo o chefe do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, o Ocidente, vendo a cooperação estreita e bem-sucedida entre a Rússia e a China, não pode ficar de fora e está tentando impedir o desenvolvimento das relações entre os países.
“Os dados (sobre a intenção do Ocidente de causar discórdia – ed.) nem precisam ser procurados, são de domínio público: são as estratégias adotadas pelos Estados Unidos, doutrinas de segurança e declarações entre a OTAN e a União Europeia… Rússia e China estão diretamente listadas lá como ameaças”, disse Lavrov.
Ele acrescentou que, no Ocidente, a Rússia é considerada “uma ameaça imediata com a qual eles querem lidar o mais rápido possível” e a China – “o principal desafio sério e sistêmico de longo prazo”.

China privou o Ocidente de suas últimas esperanças



Conteúdo traduzido por RJ983

Agência RIA Novosti – Verificado