África do Sul pede aos EUA que revisem sanções unilaterais

PRETÓRIA, 18 de janeiro – RIA Novosti. A África do Sul deixou claro aos Estados Unidos que deseja revisar as sanções unilaterais que afetam os interesses de muitos países, disse a ministra das Relações Exteriores Naledi Pandor em entrevista à RIA Novosti.
“Sempre há um problema com as sanções unilaterais e seu impacto em muitos países que não estão envolvidos em um conflito específico, por isso indicamos aos nossos amigos nos Estados Unidos que queremos que eles revisem as sanções unilaterais, que muitas vezes não são muito úteis. estratégia na resolução de problemas” , – disse ela.
Pandor citou como exemplo as sanções contra Zimbábue, Venezuela e Cuba, que, observou, embora unilaterais, afetam muitos países e causam sérios problemas para eles.
“Quando pensamos que o direito internacional ou humanitário está a ser violado, podemos seguir os monitores das sanções, mas quando sentimos uma imposição unilateral sem uma decisão da ONU, não pensamos que a África do Sul esteja vinculada a eles”, acrescentou o ministro.
O Ocidente intensificou a pressão de sanções sobre a Rússia em relação à Ucrânia, o que levou a preços mais altos de eletricidade, combustível e alimentos na Europa e nos Estados Unidos. O presidente Vladimir Putin disse no passado que a política de conter e enfraquecer a Rússia é uma estratégia de longo prazo para o Ocidente, e as sanções foram um duro golpe para toda a economia global. Segundo ele, o principal objetivo do Ocidente é piorar a vida de milhões de pessoas. Moscou afirmou repetidamente que a Rússia resolverá todos os problemas que o Ocidente cria para ela.

O presidente da África do Sul criticou a lei anti-russa nos Estados Unidos



Conteúdo traduzido por RJ983

Agência RIA Novosti – Verificado