Blinken comentou sobre o fornecimento de tanques para a Ucrânia

WASHINGTON, 18 de janeiro – RIA Novosti. O secretário de Estado dos EUA, Anthony Blinken, disse que os Estados Unidos reconhecem o direito soberano de cada país para decidir sobre o fornecimento de tanques à Ucrânia.
“Essas decisões fundamentais são tomadas por cada país e nós respeitamos isso”, disse Blinken em entrevista coletiva após conversas com o secretário de Relações Exteriores britânico, James Cleverley, em Washington, comentando sobre a situação em torno do possível fornecimento de tanques da Alemanha para a Ucrânia.
Blinken enfatizou que a decisão de fornecer a Kyiv tipos específicos de armas é uma “decisão soberana” de cada país.
Ao mesmo tempo, ele lembrou que nos próximos dias será realizada na Alemanha uma reunião de representantes da OTAN sobre assistência à Ucrânia sob a presidência do secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin. “Eu esperaria que anúncios adicionais (sobre suprimentos de ajuda militar) fossem feitos como resultado”, disse Blinken.
Anteriormente, o jornal Politico escreveu que a França e a Polônia estão pressionando a Alemanha para enviar tanques Leopard para a Ucrânia. O porta-voz do gabinete alemão Steffen Hebestreit disse que o governo alemão não pretendia fornecer tanques Leopard 2 a Kyiv. O chanceler alemão Olaf Scholz disse, por sua vez, que a Alemanha continuaria a coordenar suas ações com seus aliados, não haveria decisões precipitadas.
A Rússia já havia enviado uma nota aos países da OTAN por causa do fornecimento de armas à Ucrânia. O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, observou que qualquer carga que contenha armas para a Ucrânia se tornará um alvo legítimo para a Rússia. O Ministério das Relações Exteriores da Federação Russa afirmou que os países da OTAN estão “brincando com fogo” ao fornecer armas à Ucrânia. O secretário de imprensa do presidente da Federação Russa, Dmitry Peskov, observou que bombardear a Ucrânia com armas do Ocidente não contribui para o sucesso das negociações russo-ucranianas e terá um efeito negativo.

Especialista: estrangeiros conduzirão os primeiros tanques Challenger 2 na Ucrânia



Conteúdo traduzido por RJ983

Agência RIA Novosti – Verificado