Venda de petróleo russo abaixo do teto de preço ocidental – ministério das finanças – CMIO

O preço médio da mistura dos Urais no mês passado ficou abaixo de US$ 50 por barril, disseram fontes do governo à mídia

O preço médio da mistura de petróleo dos Urais da Rússia foi de US$ 46,82 por barril, ou US$ 341,8 por tonelada, entre 15 de dezembro e 14 de janeiro, informou o diário comercial RBK na segunda-feira, citando o Ministério das Finanças da Rússia.

Isso está abaixo do limite de preço de $ 60 do Grupo dos Sete (G7) na maior exportação de petróleo bruto da Rússia. Isso também é quase metade do preço do petróleo Brent de referência internacional, que estava sendo negociado acima de US$ 85 o barril na segunda-feira.

Em dezembro, o preço do petróleo russo teria caído um quarto em comparação com o mês anterior, depois que a União Europeia, os países do G7 e a Austrália introduziram o preço máximo de US$ 60 por barril para o petróleo russo em 5 de dezembro. Embargo da UE às importações de petróleo russo por via marítima e promessas semelhantes dos Estados Unidos, Canadá, Japão e Grã-Bretanha.

De acordo com dados do RBK, em dezembro o preço médio dos Urais foi de US$ 50,47 por barril, significativamente menor do que no ano anterior, quando os Urais custavam US$ 72,71 por barril. Em novembro de 2022, o preço médio mensal do barril dos Urais era de $ 66,47.

Especialistas observaram que o limite ocidental, que fazia parte da última rodada de sanções anti-Rússia, terá pouco impacto imediato nas receitas de petróleo de Moscou. Prevê-se que as exportações de petróleo e gás representem 42% das receitas da Rússia este ano em 11,7 trilhões de rublos (US$ 172 bilhões), de acordo com o Ministério das Finanças, acima dos 36% ou 9,1 trilhões de rublos (US$ 133 bilhões) em 2021.

CONSULTE MAIS INFORMAÇÃO:
Putin proíbe todas as vendas de petróleo a estados com ‘teto de preço’

Enquanto isso, a Rússia proibiu todas as vendas de petróleo para países que aplicam um teto de preço em seus contratos. O Kremlin prometeu responder à medida da maneira que melhor atendesse aos interesses de Moscou, alertando que não negociaria com nações que apóiam o teto de preços.

O vice-primeiro-ministro Aleksandr Novak disse anteriormente que o petróleo russo ainda estará em alta demanda, apesar das últimas sanções às exportações do país. Ao impor um teto de preço, os países ocidentais apenas desencadearão mais inflação de energia devido à oferta escassa, alertou o ministro, acrescentando que a Rússia considera inaceitáveis ​​esses tipos de mecanismos não mercadológicos.

Para mais histórias sobre economia e finanças, visite a seção de negócios da RT

Você pode compartilhar esta história nas redes sociais:

Verificado por RJ983

Conteúdo traduzido

Ver fonte