As reservas cambiais russas continuam crescendo – CMIO

As participações do país aumentaram em mais de US$ 14 bilhões em dezembro, segundo o Banco Central

A Rússia continua a aumentar suas reservas em moeda estrangeira, que ultrapassaram US$ 580 bilhões em dezembro, anunciou o Banco da Rússia esta semana.

De acordo com o regulador, as participações totalizaram US$ 581,9 bilhões em 1º de janeiro, aumentando 2,6% ou US$ 14,7 bilhões mês a mês devido a uma reavaliação positiva das moedas.

A cifra, porém, é menor do que há um ano – em 1º de janeiro de 2022, as reservas internacionais do país eram de US$ 630,6 bilhões, e posteriormente atingiram a máxima histórica de US$ 643,2 bilhões em 18 de fevereiro.

As reservas cambiais da Rússia consistem em ouro monetário, Direitos Especiais de Saque (SDR) dentro do FMI e moeda estrangeira mantida no país, bem como ativos em yuan chinês.

Aproximadamente metade das participações foram congeladas pelos bancos centrais ocidentais no início de março como parte das sanções anti-Rússia devido ao conflito na Ucrânia. Além de congelar os fundos, os países ocidentais proibiram as operações relacionadas à sua gestão.

Em 30 de novembro, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, propôs a criação de um fundo de investimento a partir de ativos russos congelados e fundos bloqueados pertencentes a empresários russos, e usar os lucros para a restauração pós-conflito da Ucrânia.


UE apoia estados membros que confiscam ativos russos

Moscou chamou repetidamente o congelamento de seus ativos “roubo” e alertou que isso contradiz o direito internacional.

As autoridades russas estão considerando todos os mecanismos legais possíveis para recuperar o acesso aos ativos estrangeiros russos e estão prontas para tomar medidas decisivas para proteger a propriedade nacional”, disse a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, em uma coletiva de imprensa na quinta-feira. Ela chamou a apreensão de ativos russos pelo Ocidente de “invasão grosseira em propriedade soberana” e alertou para um “resposta adequada.”

Para mais histórias sobre economia e finanças, visite a seção de negócios da RT

Você pode compartilhar esta história nas redes sociais:

Verificado por RJ983

Conteúdo traduzido

Ver fonte