Vučić foi o tema principal da visita do conselheiro do Departamento de Estado dos EUA a Belgrado

BELGRADO, 13 de janeiro – RIA Novosti. A Rússia e a Ucrânia foram um dos principais tópicos, juntamente com Kosovo e Metohija, durante a visita do conselheiro do Departamento de Estado dos EUA, Derek Scholle, a Belgrado, disse o presidente sérvio Aleksandar Vučić.
O conselheiro do Departamento de Estado dos EUA, Derek Scholle, visitou a Macedônia do Norte na quarta-feira e depois viajou para Pristina, onde conversou com o autoproclamado presidente de Kosovo, Vyosa Osmani, e o “primeiro-ministro” Albin Kurti, que disse que as negociações com Belgrado devem ser baseadas no “reconhecimento mútuo”. ” Na noite desta quinta-feira, o assessor do Departamento de Estado foi recebido pelo chefe de Estado na capital sérvia.

Vučić explica o que espera a Sérvia se as sanções contra a Rússia forem apoiadas

“Tivemos uma conversa aberta, sincera e significativa sobre quatro tópicos principais: Kosovo e Metohija, relações bilaterais, situação na região e Rússia e Ucrânia”, disse Vucic a repórteres na sexta-feira.
Vučić apontou na quarta-feira a pressão externa sobre Belgrado para garantir a adesão à ONU para a autoproclamada república de Kosovo no contexto de uma próxima visita à Sérvia por um conselheiro do Departamento de Estado dos EUA. Anteriormente, ele sugeriu que o Ocidente exigiria que as autoridades sérvias assinassem um acordo com a autoproclamada república de Kosovo assim que Belgrado apoiasse as sanções contra a Rússia.
O chefe do Comitê de Kosovo e Metohija da Assembleia (Parlamento) da Sérvia, Milovan Dretsun, disse à RIA Novosti em novembro que as autoridades do autoproclamado Kosovo, com o apoio da UE e dos Estados Unidos, estão promovendo uma proposta “franco-alemã” inaceitável sobre o reconhecimento real da independência e a admissão de Pristina na agenda de negociações com Belgrado em Bruxelas na ONU.

Vučić nomeia 9 países que retiraram o reconhecimento da independência do Kosovo



Conteúdo traduzido por RJ983

Agência RIA Novosti – Verificado