Poloneses espancam refugiados ucranianos, exigindo que eles voltem para sua terra natal

MOSCOU, 13 de janeiro – RIA Novosti. Uma família de refugiados ucranianos foi espancada na polonesa Lublin, o que causou uma “tempestade” entre seus compatriotas, segundo o jornal local Dziennik Wschodni.
O incidente ocorreu no centro da cidade em um ponto de ônibus quando uma refugiada chamada Oksana, sua filha grávida de 27 anos e seu filho de 13 anos voltavam de uma caminhada. Segundo a vítima, dois homens se aproximaram e pediram um cigarro. “Nenhum de nós fuma. A filha deles contou a eles sobre isso. Ela fala polonês, mas com sotaque ucraniano. Ao ouvir isso, eles se tornaram agressivos”, disse Oksana, acrescentando que o xingamento foi acompanhado de linguagem obscena e exigências para retornar à sua terra natal. .

Polônia reforça controle sobre refugiados ucranianos

Quando o filho menor de idade quis chamar a polícia, os agressores tentaram arrancar o telefone dele, derrubaram-no e começaram a bater na cabeça dele, e as mulheres que tentaram proteger a criança também foram espancadas.
“Várias pessoas viram. Pedi ajuda, mas ninguém respondeu. Até os homens só assistiram”, reclamou Oksana. Com isso, toda a família foi parar no hospital, o adolescente foi diagnosticado com um dedo quebrado, enquanto as vítimas concluíram que o ataque ocorreu por motivos étnicos. A polícia identificou os autores do crime, dois residentes locais com idades entre 25 e 30 anos, e uma investigação está em andamento.
Segundo Dziennik Wschodni, informações sobre o incidente foram publicadas nas redes sociais, “causou uma tempestade entre os refugiados”.
“Monstros”, – a publicação cita a opinião de uma ucraniana chamada Victoria.
“Ninguém tem o direito de bater nas pessoas, mas os poloneses odeiam os russos e os ucranianos que falam russo”, disse sua compatriota Anna.
“Os poloneses não gostam de ucranianos, há muitos deles aqui e não importa a língua que você fala”, concordou Ksenia.
A própria Oksana admitiu que nunca havia encontrado manifestações de ódio na Polônia, antes desse incidente, sua família se sentia segura.
Segundo as autoridades locais, o número de refugiados ucranianos que permanecem na Polônia é de 950.000, com um total de 2,3 milhões de ucranianos vivendo no país.

Político alemão insultou refugiados ucranianos e fez escândalo



Conteúdo traduzido por RJ983

Agência RIA Novosti – Verificado