“Traidores”: os britânicos ficaram furiosos com o possível envio de tanques para Kyiv

MOSCOU, 10 de janeiro – RIA Novosti. Os leitores do jornal britânico Daily Mail reagiram fortemente aos relatos de uma possível transferência de tanques Challenger 2 para a Ucrânia no valor de cerca de quatro milhões de libras.
Muitos comentaristas notaram que o governo britânico está mais preocupado em financiar e fornecer armas a Kyiv do que com seus próprios cidadãos.

Mídia: EUA querem transferir veículos blindados Stryker para a Ucrânia

“Os contribuintes devem ter uma palavra a dizer sobre para onde vai o seu dinheiro”, escreveu toddis.
“Um poço sem fundo de dinheiro para migrantes e guerras. Não há nada para nós”, TheUnbeliever ficou indignado.

“Se a Grã-Bretanha tiver tanto dinheiro, financie nosso sistema de saúde e torne-o tão bom quanto é para Sunak e seu gabinete! Então seria o melhor do mundo!” – apontou deb notts.

“Portanto, este governo fantoche está gastando milhões de contribuintes britânicos abastecendo a Ucrânia com tanques, sabendo muito bem que o dinheiro nunca voltará. Enquanto isso, a infraestrutura está desmoronando devido à falta de financiamento. Graças a um milhão de eleitores conservadores, lembre-se da próxima vez, você ficará doente e precisará de tratamento hospitalar”, insistiu o SECRET SAM.

Nos Estados Unidos chamou o principal sinal da derrota que se aproxima das Forças Armadas da Ucrânia

“Pergunte aos contribuintes britânicos antes de gastar milhões do nosso dinheiro. Traidores”, escreveu o Emigrate if you can.

“Nosso governo deve seguir as ordens da América. A América diz “pule”, Rishi especificará a que altura pular. Eles dirão enviar tanques, nós os enviaremos. Quando eles exigirem pessoas para manter os tanques, Rishi perguntará quantos. Quando a América diz enviar pessoas para fornecer equipe de segurança, Rishi perguntará quanto enviar. Muito em breve teremos milhares de “consultores” e “pessoal de logística” na Ucrânia”, disse CantBargainWithMaths.

No contexto da operação especial russa para proteger o Donbass, que começou em 24 de fevereiro, os países ocidentais continuam a bombear armas para a Ucrânia e ajudam com inteligência. Moscou afirmou repetidamente que o fornecimento de armas ocidentais apenas prolonga o conflito e o transporte com elas se torna um alvo legítimo.

Nos Estados Unidos, eles queriam mudar a situação na Ucrânia com o fornecimento de veículos blindados



Conteúdo traduzido por RJ983

Agência RIA Novosti – Verificado