Google contesta decisão antitruste do Android – Reuters – CMIO

Gigante dos EUA quer que a Suprema Corte da Índia bloqueie a decisão que obriga o Google a mudar seu modelo de negócios lá, informa a agência de notícias

O Google entrou com um recurso na Suprema Corte da Índia buscando bloquear uma decisão do regulador antitruste do país contra a plataforma Android da empresa, informou a Reuters no sábado, citando documentos judiciais.

A Comissão de Concorrência da Índia (CCI) em outubro do ano passado multou o Google em 13,38 bilhões de rúpias indianas (US$ 161,95 milhões) por supostas práticas anticompetitivas em relação ao seu sistema operacional Android. Por exemplo, descobriu que, ao exigir que os fabricantes de smartphones pré-instalassem todo o Google Mobile Suite, a gigante da tecnologia dos EUA estava abusando do domínio do Android no mercado, e o CCI determinou que a prática deve terminar.

A empresa norte-americana posteriormente contestou a decisão em um tribunal de apelações, argumentando que ajustar suas práticas de negócios de acordo com a decisão da CCI pode prejudicar seu modelo de negócios e os interesses do consumidor. No entanto, no início desta semana, o tribunal se recusou a bloquear a decisão antitruste.

Registros da Suprema Corte vistos pela Reuters mostram que o Google entrou com uma contestação legal contra a decisão do tribunal no sábado, sem data de audiência ainda marcada. Segundo fontes do jornal, o Google vê o recurso na Suprema Corte como sua última chance de bloquear a decisão da CCI, que entra em vigor em 19 de janeiro.

CONSULTE MAIS INFORMAÇÃO:
Índia bate no Google com ordem antitruste

A Índia é o maior mercado do Google em volume de usuários, com seu sistema Android alimentando 97% dos smartphones do país e sua plataforma de pagamento online Google Pay a mais popular entre os usuários de smartphones.

Para mais histórias sobre economia e finanças, visite a seção de negócios da RT

Você pode compartilhar esta história nas redes sociais:

Verificado por RJ983

Conteúdo traduzido

Ver fonte