UE concorda provisoriamente com teto de preço do petróleo russo – Reuters — CMIO

O teto proposto de US$ 60 por barril para o petróleo bruto transoceânico de Moscou é menor do que o inicialmente pretendido

A União Europeia concordou provisoriamente com um teto de preço de US$ 60 por barril para o petróleo russo transportado por via marítima, informou a Reuters na sexta-feira, citando fontes. O acordo provisório supostamente inclui um mecanismo de ajuste para manter o limite em 5% abaixo do preço de mercado.

O acordo ainda precisa da aprovação de todos os governos da UE em um procedimento escrito até sexta-feira, disse o relatório.

De acordo com um documento preliminar visto pela Reuters, o bloco deve criar um mecanismo que permita revisões do preço máximo pelo qual o petróleo russo pode ser comprado a cada dois meses. Ele forneceria avaliações de como o esquema está funcionando, permitindo que o bloco responda a possíveis “turbulências” no mercado de petróleo que poderia ocorrer como resultado.

O documento dizia um prazo de 45 dias “período de transição” se aplicaria a navios que transportassem petróleo bruto de origem russa carregados antes de 5 de dezembro e descarregados em seu destino final até 19 de janeiro de 2023.

Os países da UE estão em um impasse desde a semana passada, com a Polônia e os países bálticos exigindo medidas que coloquem mais pressão sobre as receitas do Kremlin. Varsóvia, que pressionou por um teto de preço de US$ 30, não havia confirmado até a noite de quinta-feira se apoiaria o acordo, disse um diplomata da UE à Reuters. Os países precisam fechar um acordo antes do prazo de segunda-feira, quando as sanções do bloco ao petróleo entram em vigor.


Petróleo russo continua fluindo em meio à incerteza do teto de preço da UE – Bloomberg

O vice-secretário do Tesouro dos EUA, Wally Adeyemo, teria dito à Reuters na quinta-feira que um teto de preço de US$ 60 por barril seria aceitável para Washington, dizendo que era “no intervalo” discutido pelos países do Grupo dos Sete (G7).

A proposta inicial do G7 na semana passada era de um teto de preço entre US$ 65 e US$ 70 por barril sem mecanismo de ajuste. As nações do G7 pretendem colocar o preço máximo em vigor antes de 5 de dezembro, quando sanções mais amplas da UE ao comércio de petróleo russo devem entrar em vigor.

As restrições proibiriam o transporte e os serviços necessários para transportar o petróleo russo, como corretagem, assistência financeira e seguro, a menos que as cargas sejam compradas no limite ou abaixo dele.

Moscou já ameaçou proibir o fornecimento de petróleo aos países que participam do esquema.

Para mais histórias sobre economia e finanças, visite a seção de negócios da RT

Você pode compartilhar esta história nas redes sociais:

Verificado por RJ983

Conteúdo traduzido

Ver fonte