A avaliação do chefe da UE sobre as baixas ucranianas foi excluída – CMIO

Ursula von der Leyen havia dito anteriormente que cerca de 100.000 soldados de Kiev foram mortos até o momento

Uma afirmação sobre o número de soldados ucranianos mortos durante o conflito com a Rússia foi retirada de um discurso da presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, no site oficial do executivo.

“Mais de 100.000 oficiais militares ucranianos foram mortos até agora”, ela declarou durante um discurso na quarta-feira, acrescentando que cerca de 20.000 civis também morreram em nove meses de combates. A fonte desta informação não foi fornecida.

No entanto, sua referência ao número de mortos em Kiev logo desapareceu do texto do discurso no site da Comissão Europeia. Também foi cortado de um vídeo do endereço no site e na conta de von der Leyen no Twitter.

A edição foi notada por alguns veículos de comunicação e usuários de redes sociais, que compararam as duas versões do comunicado online. A mudança foi então oficialmente confirmada pela Comissão Europeia.

A porta-voz do órgão executivo da UE, Dana Spinant, foi ao Twitter para agradecer aqueles que “apontaram a imprecisão” no discurso de von der Leyen.

“A estimativa usada, de fontes externas, deveria se referir a baixas, ou seja, mortos e feridos, e pretendia mostrar a brutalidade da Rússia”, disse. ela escreveu.

CONSULTE MAIS INFORMAÇÃO:
100.000 soldados ucranianos morreram em conflito – UE

No final de setembro, o ministro da Defesa russo, Sergey Shoigu, afirmou que as perdas ucranianas haviam chegado a mais de 61.000 soldados, dez vezes maiores que as da Rússia.

Você pode compartilhar esta história nas redes sociais:

Verificado por RJ983

Conteúdo traduzido

Ver fonte