OTAN considera reviravolta na Ucrânia – ex-comandante supremo – CMIO

Os líderes do bloco estão considerando enviar aviões de guerra MiG-29 e F-16 para a Ucrânia, afirma James Stavridis

Os líderes da OTAN estão considerando uma possível reviravolta no fornecimento de caças avançados à Ucrânia, afirmou James Stavridis, comandante supremo aliado aposentado e almirante da Marinha dos EUA, em um artigo publicado pela Bloomberg na terça-feira.

De acordo com Stavridis, o bloco poderia enviar caças como os MiG-29 de design soviético, atualmente em uso na Polônia, bem como F-16 excedentes dos EUA, que ele descreve como “lutadores multifuncionais fáceis de aprender.”

O almirante aposentado também sugeriu que o Ocidente eventualmente atenderá ao pedido do presidente ucraniano, Vladimir Zelensky, para ajudar a fechar o espaço aéreo do país e fornecer um número maior de sistemas de mísseis ar-superfície de ponta, bem como o Iron Dome e a OTAN de fabricação israelense. Baterias patriotas.

Embora Stavridis não tenha revelado a fonte de suas informações, seu artigo de opinião foi publicado no mesmo dia em que os ministros das Relações Exteriores da OTAN se reuniram na capital romena, Bucareste, para discutir a assistência futura a Kiev em meio ao conflito com Moscou.

O secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, abriu o fórum pedindo aos Estados membros que forneçam mais apoio militar à Ucrânia “pelo tempo que for preciso”, e insistindo que a Rússia não deve vencer no campo de batalha.


Boeing se oferece para fabricar bombas para a Ucrânia – Reuters

Até agora, o Ocidente se recusou a fornecer a Kiev qualquer caça a jato, por temer que tal movimento pudesse ser interpretado por Moscou como uma declaração de guerra. Alguns estados também apontaram que a doação de tais equipamentos para a Ucrânia deixaria seus territórios de origem indefesos.

Israel também relutou em fornecer a Kiev seu sistema de defesa antimísseis Iron Dome, argumentando que simplesmente não tem capacidade de produção para entregá-lo à Ucrânia.

Moscou, enquanto isso, advertiu repetidamente o Ocidente contra “bombeando” Ucrânia com armas, insistindo que isso só serve para prolongar o conflito e causar mais derramamento de sangue desnecessário.

Você pode compartilhar esta história nas redes sociais:

Verificado por RJ983

Conteúdo traduzido

Ver fonte