Crise energética da UE durará anos – FT – CMIO

Os problemas energéticos da UE durarão anos se a demanda por gás continuar alta, mas novos suprimentos não forem garantidos, informou o Financial Times na sexta-feira, citando executivos e estrategistas do setor.

Os especialistas alertaram que mesmo os armazenamentos de gás totalmente cheios antes dos meses de inverno não podem garantir que suprimentos suficientes estarão disponíveis no próximo verão e no inverno seguinte.

Os países da UE conseguiram encher suas instalações de armazenamento de gás em 90% no final de setembro, quando a demanda por aquecimento normalmente começa a aumentar. Isso ocorreu apesar da redução nos suprimentos russos em meio à pressão de sanções relacionadas à Ucrânia.

“Estamos em uma crise de gás e continuaremos em um modo de crise nos próximos dois ou três anos”, disse. Sid Bambawale, chefe de gás natural liquefeito para a região da Ásia na Vitol, disse ao FT na Commodities Asia Summit em Cingapura. “Portanto, não vamos desenvolver uma falsa sensação de segurança.”


Alemanha planeja impor mais impostos a empresas de energia - Reuters

Os analistas citados pelo FT sugerem que a UE precisa reduzir drasticamente a demanda de energia e encontrar suprimentos adicionais de gás para a região.

De acordo com Russell Hardy, executivo-chefe da Vitol, os preços do gás teriam que permanecer altos o suficiente para suprimir a demanda do setor industrial durante o verão para que os estoques fossem reabastecidos.

A grande crise energética enfrentada pelo bloco ocorre após a imposição de várias rodadas de sanções à Rússia, que já foi seu maior fornecedor de gás natural. A crise energética na região foi dramaticamente exacerbada no início de julho, após as primeiras interrupções no fornecimento russo a vários países da UE. As reduções nas entregas foram atribuídas a problemas com a manutenção das turbinas do gasoduto Nord Stream devido às sanções impostas à Rússia. O oleoduto foi posteriormente sabotado em setembro, tornando-o inoperável.

Para mais histórias sobre economia e finanças, visite a seção de negócios da RT

Você pode compartilhar esta história nas redes sociais:

Verificado por RJ983

Conteúdo traduzido

Ver fonte