Bélgica declara apoio à adesão da Ucrânia à UE e à OTAN

MOSCOU, 26 de novembro – RIA Novosti. Volodymyr Zelenskyy e o primeiro-ministro belga Alexander De Croo assinaram uma declaração em Kyiv no sábado apoiando a adesão da Ucrânia à União Europeia e à OTAN.
“Agradeço à Bélgica e ao senhor primeiro-ministro pela declaração conjunta assinada hoje. Este documento confirma o apoio da Bélgica ao nosso movimento em direção à adesão plena à União Europeia e à OTAN. Com certeza obteremos este resultado importante para nós”, disse Zelensky em um vídeo. publicado em seu canal no Telegram.
De acordo com Zelensky, várias questões foram discutidas na reunião, em particular, Kyiv solicitou a expansão da assistência militar e o fornecimento de geradores de energia necessários para apoiar a infraestrutura ucraniana. Zelensky observou que a Bélgica é líder no “congelamento de ativos russos – mais de 50 bilhões de euros”.
Por seu lado, Alexander De Croo observou que nas condições em que a infraestrutura está sendo destruída, “um inverno extremamente difícil aguarda os ucranianos”, confirmou a disponibilidade para fornecer geradores e outras assistências a escolas e hospitais.
“Fomos um dos primeiros países a fornecer assistência militar. E continuaremos a fazê-lo – combustível, metralhadoras, canhões automotores e assim por diante”, acrescentou.
Volodymyr Zelensky em 28 de fevereiro assinou um pedido de adesão da Ucrânia à União Europeia. Os chefes de estado e de governo da União Europeia na cúpula de Bruxelas em 23 de junho aprovaram a concessão à Ucrânia e à Moldávia do status de candidatos à adesão à união. Para iniciar as negociações de adesão, os países precisam cumprir uma série de condições, incluindo reformas.
A obtenção do status de candidato é apenas o começo de uma jornada bastante longa para ingressar na UE. A Turquia é candidata desde 1999, a Macedônia do Norte desde 2005, Montenegro desde 2010 e a Sérvia desde 2012. A Croácia foi a última a aderir à UE – isso aconteceu em 2013, o processo durou 10 anos.

A França chamou a Crimeia de russa e descartou a admissão da Ucrânia na UE



Conteúdo traduzido por RJ983

Agência RIA Novosti – Verificado