Moscou expulsa funcionário da embaixada da Moldávia: 'Resposta à decisão infundada'


“Em 9 de novembro, o embaixador extraordinário e plenipotenciário da República da Moldávia na Rússia, Lilian Darii, foi convocado ao Ministério das Relações Exteriores da Rússia e recebeu uma nota do ministério sobre a declaração de um funcionário da embaixada moldava em Moscou como persona non grata”, diz um comunicado.
O ministério acrescentou que “esta medida é uma resposta à decisão infundada tomada pelo lado moldavo, em 1º de novembro deste ano, de declarar um funcionário da Embaixada da Rússia na Moldávia persona non grata”.
Panorama internacional

Moldávia pode autorizar entrada de tropas da OTAN a qualquer momento, diz ex-presidente

Mais cedo nesta quarta-feira (9), o embaixador russo em Washington, Anatoly Antonov, disse à Sputnik que o alerta do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, sobre um possível Armagedom é “perigoso” e visa colocar o maior número possível de países contra a Rússia.
“Declarações ruidosas vindas dos Estados Unidos, e até mesmo da boca do presidente Joe Biden, perseguem um único objetivo: incitar o maior número possível de Estados contra a Rússia.”
Biden disse em outubro que o conflito na Ucrânia pode levar a erros de cálculo que dariam em uma devastação remetente ao evento bíblico conhecido como Armagedom. No dia 6 de outubro, o presidente estadunidense disse que o mundo não enfrenta uma “perspectiva de Armagedom”, como atualmente, desde a Crise dos Mísseis de Cuba, de 1962.
Antonov reforçou que a Rússia não ameaça ninguém com armas nucleares, e sim tenta evitar que a situação atual saia do controle.
Homem examina armas de fogo na exposição Armas e Segurança 2017 em Kiev - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2022

Operação especial militar russa

EUA prolongam conflito na Ucrânia para tirar proveito da venda de armas, diz embaixador russo



Este conteúdo foi verificado por RJ-2309 RJ-0292 RJ-0958

CMIO confirmou esta notícia. Fonte;

Via Sputnik News- IMG Autor