Mundo

Japão gasta em outubro o equivalente a R$ 220 bilhões em ienes para alavancar a moeda, revela mídia

  Fact-checking   Autentic   DMCA   Report







O governo japonês comprou em outubro ienes, a moeda nacional do país, pela primeira vez desde 1998, gastando um recorde de 6,35 trilhões de ienes (R$ 220,83 bilhões), revelam dados do Ministério das Finanças do Japão citados na segunda-feira (31) pela agência japonesa Kyodo.
Uma das intervenções aconteceu em 22 de setembro, quando Tóquio gastou 2,84 trilhões de ienes (R$ 98,76 bilhões), após o dólar dos EUA ter superado a moeda japonesa em 145 vezes. A moeda japonesa recuperou brevemente para um rácio de 140, mas caiu novamente para 145 vezes em poucos dias.
Segundo as fontes da Kyodo, provavelmente houve pelo menos duas intervenções “furtivas” em 21 de outubro e na última segunda-feira (24), que resultaram em breve crescimento para o iene, apesar de “percepções generalizadas do mercado de que tais operações farão pouco para inverter a tendência mais ampla“.
Panorama internacional

Diante de crise cambial, Japão admite possível intervenção no mercado

O governo japonês nunca declarou que fez as intervenções nem revelou o número de intervenções desde então.
Um iene fraco é considerado um benefício para os exportadores japoneses, cujos lucros no exterior estão aumentando em ienes, explica a agência. No entanto, o Japão, um país com recursos limitados, foi seriamente afetado pela forte queda de valor da sua moeda, o que levou a um aumento nos preços de alimentos e energia, que são quase todos importados.
O Japão tem enfrentado um aumento nos preços há 13 meses consecutivos, devido à baixa e cada vez menor taxa de câmbio do iene japonês. A situação piorou significativamente quando os países ocidentais impuseram sanções à Rússia por sua operação militar especial na Ucrânia, o que ocasionou um grande crescimento nos preços dos recursos energéticos, que Tóquio é obrigado a importar em grandes quantidades.



Este conteúdo foi verificado por RJ-2309 RJ-0292 RJ-0958

CMIO confirmou esta notícia. Fonte;

Via Sputnik News- IMG Autor

  Fact-checking   Autentic   DMCA   Report






Mostrar mais

CMIO

Conselho de Mídia Independente - Grupo independente, de atuação jornalística; baseado em SP. Replica e elabora conhecimentos e assuntos de utilidade pública.

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.