Mundo

Conteúdo do projeto de lei da Finlândia sobre a adesão à OTAN revelado – mídia — CMIO

  Fact-checking   Autentic   DMCA   Report






Autoridades teriam usado a ‘ameaça’ da Rússia como motivo para se juntar ao bloco militar liderado pelos EUA

O projeto de lei sobre a adesão da Finlândia à Otan não contém restrições às bases do bloco e à implantação de armas nucleares em seu solo, informou o jornal Iltalehti na quarta-feira, citando fontes de política externa e segurança.

Segundo o jornal, a legislação é “praticamente pronto” e será submetido para comentários em duas semanas.

O projeto considera as armas nucleares uma parte importante da dissuasão do bloco contra a Rússia. Fontes citadas pelo canal dizem que seria difícil criar um plano de defesa para a Finlândia na Otan se, por exemplo, bombardeiros com capacidade nuclear não puderem ser enviados ao espaço aéreo do país.

O ministro das Relações Exteriores Pekka Haavisto afirmou este mês que Helsinque recebeu garantias dos EUA, Grã-Bretanha e “países-chave da Europa” que a aliança virá em auxílio da Finlândia mesmo antes de se juntar ao bloco militar.

“Acredito que qualquer ameaça direta à Finlândia também receberia ajuda desses parceiros, mesmo que ainda não sejamos membros da OTAN”, disse. disse o ministro.

O embaixador dos EUA na Finlândia, Douglas Hickey, foi citado pelo Politico no mês passado dizendo estar confiante de que a Finlândia e a Suécia estarão na OTAN até o final do ano.

Um país historicamente não alinhado, a Finlândia, juntamente com a vizinha Suécia, solicitou a adesão à OTAN após o lançamento da operação militar da Rússia na Ucrânia em fevereiro. O bloco convidou formalmente ambas as nações a se tornarem membros no final de junho.

A adesão será finalizada somente após a ratificação pelos 30 estados membros da organização. Até agora, 28 países da OTAN ratificaram a adesão da Suécia e da Finlândia, com Türkiye e Hungria ainda não o fizeram.

No início deste mês, o presidente turco Recep Tayyip Erdogan, falando em uma entrevista coletiva em Praga, disse que “A Finlândia não é um país onde os terroristas circulam livremente” mas a Suécia é “um lugar onde o terror é galopante”.

Em 22 de outubro, a agência de notícias estatal turca Anadolu Agency informou que a Finlândia estava se preparando para enviar uma delegação ao país na terça-feira. De acordo com o veículo, as negociações se concentraram na extradição de militantes curdos, pois essa é uma preocupação fundamental para Ancara.

Em junho, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, afirmou que a adesão da Finlândia e da Suécia à OTAN só aumentaria as tensões entre a Rússia e o Ocidente.

Verificado por RJ983

Conteúdo traduzido

Ver fonte

  Fact-checking   Autentic   DMCA   Report






Mostrar mais

CMIO

Conselho de Mídia Independente - Grupo independente, de atuação jornalística; baseado em SP. Replica e elabora conhecimentos e assuntos de utilidade pública.

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.