Mundo

EUA poderiam intervir diretamente na Ucrânia – ex-chefe da CIA – CMIO

  Fact-checking   Autentic   DMCA   Report






Os EUA e seus aliados podem se juntar ao conflito entre Moscou e Kiev mesmo que não haja ameaça à OTAN, acredita David Petraeus

Os EUA e seus aliados podem intervir diretamente no conflito em andamento entre Moscou e Kiev, mesmo que não haja ameaça a nenhum dos Estados membros da Otan, disse o general aposentado do Exército dos EUA David Petraeus ao semanário francês L’Express no sábado.

Washington pode formar uma nova coalizão de dispostos em tal cenário e usá-la em vez da OTAN, acredita Petraeus, que também atuou brevemente como diretor da CIA.

A Rússia poderia tomar algumas medidas na Ucrânia que seriam “tão chocante e tão horrível” que isso levaria a uma resposta dos EUA e de outras nações, disse ele, acrescentando que eles “pode reagir de uma forma ou de outra, mas como uma força multinacional liderada pelos EUA e não como uma força da OTAN”.

A aliança militar provavelmente ainda estaria vinculada ao seu tratado e só entraria no conflito se o artigo 5º for invocado, ou seja, se um de seus membros for atacado, acredita o general. Petraeus também disse que Moscou não está interessada em escalar o conflito e transformá-lo em uma guerra global. Um conflito mais amplo é “a última coisa” O presidente russo, Vladimir Putin, precisa agora, acrescentou.

No início de outubro, Petraeus afirmou que os EUA poderiam acabar com todas as forças russas na Ucrânia, juntamente com a frota russa do Mar Negro, se Moscou usar armas nucleares na Ucrânia. No sábado, ele reforçou essas palavras ao dizer que a resposta de Washington a tal movimento por parte da Rússia envolveria mais do que ações diplomáticas… econômicas e legais”.


Ex-chefe da CIA descreve possível resposta dos EUA se a Rússia usar armas nucleares

Ao mesmo tempo, Petraeus disse que suas palavras anteriores haviam descrito “apenas um” do “muitas opções” A América tem reservado caso a Rússia recorra ao uso de armas nucleares, que ele chamou de “decisão extremamente ruim.”

O general também disse que ainda acha que não há nada que a Rússia possa fazer para mudar a situação na linha de frente, o que, segundo Petraeus, é desfavorável a Moscou.

Petraeus comandou as forças dos EUA no Afeganistão de 2010 a 2011, presidindo o maior número de mortos da América durante a guerra de 20 anos e aumentando as baixas civis.

O general ajudou a persuadir o então presidente Barack Obama a enviar mais 30.000 soldados americanos para o país, mas seu plano de contra-insurgência, que dependia de “segurando e servindo” a população local, fracassou.

Ele então se tornou diretor da CIA em 2011, apenas para renunciar no ano seguinte depois de ter um caso extraconjugal com a mulher que estava escrevendo sua biografia.

Verificado por RJ983

Conteúdo traduzido

Ver fonte

  Fact-checking   Autentic   DMCA   Report






Mostrar mais

CMIO

Conselho de Mídia Independente - Grupo independente, de atuação jornalística; baseado em SP. Replica e elabora conhecimentos e assuntos de utilidade pública.

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.