Mundo

Em Berlim, milhares protestam contra o governo e pedem o fim das sanções russas (FOTOS, VÍDEO)

  Fact-checking   Autentic   DMCA   Report







As informações foram confirmadas pelo correspondente da Sputnik em Berlim e diversos vídeos que circulam nas redes sociais estimam que havia ao menos 10 mil pessoas na manifestação.
O ato, intitulado “Nosso país em primeiro lugar”, foi convocado pelo partido de oposição de direita, o Alternativa para a Alemanha (AfD).
Dezenas de milhares de alemães se reuniram hoje em Berlim contra as sanções anti-russas, os preços da energia, a OTAN [Organização do Tratado do Atlântico Norte] e pelo fim do conflito na Ucrânia.
Em discurso durante o ato, o colíder do partido, Tino Chrupalla, acusou o governo alemão de travar uma guerra contra seu próprio povo ao concordar com as sanções contra a Rússia.
Ele também afirmou que “o preço do gás se tornará normal novamente quando comprarmos gás barato da Rússia”.
Para ele, importar gás dos Estados Unidos e dos Emirados Árabes Unidos, como a Alemanha planeja fazer, é “moralmente suspeito“.
Os participantes culparam o governo por preços desenfreados, políticas sociais inadequadas e pediram que as sanções ao fornecimento de petróleo e gás russo fossem suspensas.
Alguns ativistas podiam ser vistos agitando bandeiras alemãs e russas e carregando cartazes que diziam: “Quero gás e petróleo russos” e “Aqueles que permanecerem em silêncio hoje congelarão amanhã”. Outros seguravam cartazes em alemão e em russo.
Panorama internacional

Alemanha está dividida: políticos estaduais voltam a apelar para Berlim negociar com Rússia

Em setembro, o partido AfD anunciou sua campanha de protesto para expressar insatisfação com o forte aumento dos preços de alimentos e energia na Alemanha e exigir o fim da guerra econômica, o levantamento das sanções anti-russas e o comissionamento do gasoduto Nord Stream 2 (Corrente do Norte 2).
Os primeiros protestos foram realizados nas cidades alemãs de Leipzig e Magdeburg, entre outras, e reuniram milhares de pessoas.
É assim que parece de cima: Milhares de pessoas na demonstração AfD em Berlim. Queremos a mudança de política.
Os países ocidentais aumentaram a pressão das sanções sobre a Rússia desde o início da operação especial na Ucrânia.
A interrupção nas cadeias de abastecimento levou a preços mais altos de combustíveis e alimentos em toda a União Europeia (UE), levando a inflação a níveis recordes e fazendo com que o custo de vida disparasse.
Instalações para receber e distribuir gás natural são retratadas no terreno do operador de rede de gasodutos e transporte de gás Gascade em Lubmin, no nordeste da Alemanha, perto da fronteira com a Polônia, em 30 de agosto de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 14.09.2022

Panorama internacional

Berlim se prepara para financiar empresas de energia diante da escassez de oferta, diz mídia





Este conteúdo foi verificado por RJ-2309 RJ-0292 RJ-0958

CMIO confirmou esta notícia. Fonte;

Via Sputnik News- IMG Autor

  Fact-checking   Autentic   DMCA   Report






Mostrar mais

CMIO

Conselho de Mídia Independente - Grupo independente, de atuação jornalística; baseado em SP. Replica e elabora conhecimentos e assuntos de utilidade pública.

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.