Mundo

Tesouro dos EUA procura assistente de sanções – Bloomberg – CMIO

Uma nova posição está sendo criada para aconselhar o governo Biden sobre como evitar danos colaterais decorrentes de restrições

O Departamento do Tesouro dos EUA está procurando contratar um especialista que aconselhe sobre como evitar repercussões das sanções que Washington vem usando nos últimos anos para pressionar países ao redor do mundo, informou a Bloomberg na quinta-feira.

De acordo com a agência de notícias, o candidato escolhido chefiará a Unidade de Análise Econômica de Sanções e oferecerá conhecimento ao governo Biden sobre os efeitos colaterais que essas restrições têm na economia dos EUA, nos mercados financeiros e outras áreas afins.

O cargo, que oferece um salário de até US$ 176.300 por ano, também exige uma autorização de segurança ultra-secreta.

A urgência de tal papel aumentou à medida que a estrutura de sanções em que Washington se baseou nos últimos anos se tornou mais complexa. As dificuldades foram agravadas ainda mais pelas sanções da Casa Branca à Rússia sobre o conflito na Ucrânia, que aumentaram o “dores de cabeça”, diz o relatório.


EUA tentam atrair a Índia para longe da Rússia – CNN

Segundo o veículo, uma das principais tarefas do especialista será “evitar grandes choques econômicos”, semelhante ao que agitou os mercados globais depois que os EUA aplicaram sanções a empresas ligadas ao bilionário russo Oleg Deripaska, incluindo a gigante do alumínio Rusal. O governo Trump suspendeu as sanções à empresa no início de 2019.

Alex Parets, conselheiro do subsecretário de Terrorismo e Inteligência Financeira, disse à Bloomberg que o governo Biden está procurando contratar uma pessoa que tenha algum treinamento teórico, mas esteja mais focada em soluções práticas.

O que não queremos é alguém apenas produzindo trabalhos acadêmicos de 460 páginas”, frisou.

Os requisitos para o cargo incluem uma licenciatura em economia ou uma combinação de um perfil educacional adequado e experiência de mercado relevante.

Depois que Moscou lançou sua campanha militar na Ucrânia no final de fevereiro, os EUA, juntamente com seus aliados, aumentaram significativamente as sanções à Rússia. As novas restrições abrangentes incluíam sanções aos principais bancos e empresas da Rússia, a proibição de todos os novos investimentos no país e o bloqueio dos pagamentos da dívida de Moscou. A maioria das reservas de ouro e divisas da Rússia também foram congeladas.

Você pode compartilhar esta história nas redes sociais:

Verificado por RJ983

Conteúdo traduzido

Ver fonte




Mostrar mais

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.