Mundo

Autoridade iraniana culpa por agitação mortal – CMIO

Forças estrangeiras tentaram provocar distúrbios no Irã em meio à indignação pública pela morte de uma mulher sob custódia policial, disse Ismail Zarei Koosha, governador da província ocidental do Curdistão do país, nesta terça-feira.

A agência de notícias Fars citou Koosha dizendo que três pessoas foram “baleado e morto pelos inimigos do governo” durante os protestos, que abalaram várias cidades, incluindo a capital do Curdistão, Sanandaj.

Ele acrescentou que as vítimas foram mortas “com armas que não são usadas por nenhum dos oficiais de segurança e militares”.

Os protestos começaram na semana passada depois que Mahsa Amini, 22, morreu após ser detido em Teerã por usar uma “impróprio” hijab.

A polícia alegou que Amini morreu de ataque cardíaco, rejeitando relatos de que a mulher havia sido espancada sob custódia ou torturada.

CONSULTE MAIS INFORMAÇÃO:
Polícia iraniana responde à morte de mulher sob custódia

Koosha disse que as forças de “fora do país” tentavam explorar a tragédia para incitar a agitação. “Há uma atmosfera emocional. E, como resultado, eles não são simpatizantes de Mahsa e [her family]sunitas e curdos”, ele disse.

“Vamos nos levantar e lidar com aqueles que se escondem por trás da morte de Mahsa Amini e buscam criar insegurança no Curdistão e espalhá-la para outras províncias.”

Relatos da mídia disseram que os manifestantes atiraram pedras e incendiaram latas de lixo, enquanto a polícia disparou rajadas de gás lacrimogêneo.

Você pode compartilhar esta história nas redes sociais:

Verificado por RJ983

Conteúdo traduzido

Ver fonte




Mostrar mais

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.