Mundo

Conflito na Ucrânia pode durar até 2030 – Orban – CMIO

O conflito na Ucrânia pode durar até 2030 e o Ocidente é o culpado por torná-lo global e não local, disse o primeiro-ministro húngaro, Viktor Orban, segundo a emissora estatal norte-americana Radio Free Europe (RFE/RL).

Orban teria falado há uma semana em um evento a portas fechadas envolvendo seu partido governante Fidesz, cujos detalhes estão sendo vazados para a mídia.

O líder húngaro teria dito a seus apoiadores que acreditava que a Ucrânia pode acabar perdendo entre um terço e metade de seu território devido ao conflito com a Rússia, informou a RFE/RL na sexta-feira, citando participantes da reunião na vila de Kotcse em setembro 10.

Os combates entre Moscou e Kiev – que estão sendo ajudados pelos EUA, UE e alguns outros países – podem continuar até 2030, alertou Orban. A crise na Ucrânia começou como um conflito local, mas o envolvimento do Ocidente a transformou em um assunto global, disse o primeiro-ministro.


Ex-FM romeno pede desmembramento da Ucrânia

De acordo com o relatório, Orban novamente atacou as sanções da UE impostas à Rússia por sua operação militar na Ucrânia, dizendo que o bloco havia dado um tiro no próprio pé com essas restrições.

A crise energética, que ocorreu como resultado dessas restrições, pode forçar 40% da indústria europeia a fechar neste inverno, acrescentou.

Em seu discurso, o líder húngaro também teria revelado que os líderes europeus devem decidir prolongar as sanções por mais seis meses depois, no outono, insistindo que uma tentativa deve ser feita para impedir essa extensão.

Do jeito que as coisas estão indo agora, a zona do euro e a própria UE podem deixar de existir até 2030, disse Orban.

A Hungria permaneceu relativamente neutra desde o início dos combates na Ucrânia no final de fevereiro. Ele se recusou a enviar armas para Kiev e criticou consistentemente as sanções da UE a Moscou. Budapeste, que depende fortemente da energia russa, também conseguiu negociar uma isenção para si mesma da proibição do petróleo russo em todo o bloco.

No início deste mês, Mikulas Bek, ministro de Assuntos Europeus da República Tcheca, que agora preside o Conselho da UE, alertou que a posição da Hungria sobre a Rússia poderia teoricamente acabar com a saída do bloco.

Verificado por RJ983

Conteúdo traduzido

Ver fonte




Mostrar mais

CMIO

Conselho de Mídia Independente - Grupo independente, de atuação jornalística; baseado em SP. Replica e elabora conhecimentos e assuntos de utilidade pública.

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.