Mundo

Relatório de tortura da CIA permanecerá secreto para ‘segurança nacional’ – CMIO

Um relatório do Senado dos EUA descrevendo os métodos brutais de ‘interrogatório aprimorado’ da CIA não verá a luz do dia – por enquanto

Um juiz federal dos EUA decidiu que um extenso relatório do Congresso sobre o programa de tortura da CIA na Guerra do Terror permanecerá classificado, alegando que os cidadãos não têm direito de acessar o documento controverso, partes do qual já vazaram para o público por um senador democrata em 2014.

Em uma decisão na quinta-feira, o juiz do distrito de Columbia Beryl Howell disse que o relatório “não se qualifica como um registro público sujeito ao direito comum de acesso público”, como um caso anterior concluiu que era um “Registro do Congresso” e, portanto, não pôde ser obtido por meio de solicitações padrão da Lei de Liberdade de Informação (FOIA).

“O relatório contém informações altamente confidenciais sobre as políticas e procedimentos de detenção e interrogatório da CIA que comprometeriam a segurança nacional se divulgados, superando em muito o interesse do público na divulgação”, disse. a juíza escreveu em sua opinião.

O repórter investigativo Shawn Musgrave entrou com uma ação pelo documento, fazendo um argumento de ‘direito de saber’ semelhante àqueles trazidos no litígio da FOIA, mas seu caso foi arquivado. O advogado do jornalista, Kel McClanahan, prometeu recorrer da decisão.


Príncipe saudita lembra Biden da tortura dos EUA no Iraque

O relatório de 6.700 páginas do Senado detalha os programas clandestinos de detenção e tortura da CIA lançados após os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001, durante os quais inúmeros suspeitos estrangeiros foram arrastados para prisões secretas de ‘local negro’ no exterior e submetidos a interrogatórios extremos e muitas vezes bárbaros. medidas. Poucos desses casos resultaram em acusações formais para os acusados, muitos dos quais aparentemente mantidos a critério da própria agência, muito além do alcance do sistema de justiça criminal americano ou das leis internacionais de guerra.

Um resumo não classificado do documento divulgado pela senadora democrata Dianne Feinstein em 2014 apresentou 20 descobertas importantes, incluindo que os métodos da CIA raramente ajudavam a adquirir inteligência útil, que mentia repetidamente sobre a eficácia desses métodos e que os interrogatórios da agência eram muito mais violento do que os funcionários da inteligência jamais admitiram aos legisladores. Algumas das chamadas técnicas de “interrogatório aprimorado” foram desenvolvidas por psicólogos especialistas para maximizar o sofrimento infligido aos suspeitos, concluiu o resumo, concluindo também que o regime de tortura havia manchado a reputação dos Estados Unidos em todo o mundo.

Comentando a decisão de quinta-feira, a senadora Feinstein disse que, embora concordasse com alguns aspectos da decisão, “Também continuo acreditando que o relatório completo sobre tortura – com as devidas redações – deve ser divulgado em algum momento.”


Prisioneiro da CIA foi usado como suporte de tortura para ensinar recrutas – documentos desclassificados

“O uso da tortura pelo governo americano foi uma marca sombria em nossa história que nunca deve acontecer novamente. Devemos continuar a aprender com nossos erros, e isso significa, eventualmente, divulgar o relatório de tortura em um momento apropriado”, disse. ela acrescentou, de acordo com o Los Angeles Times.

Embora o enorme relatório permaneça em sigilo por enquanto, o ex-presidente Barack Obama colocou o documento em seus registros presidenciais antes de deixar a Casa Branca, o que significa que uma cópia agora está preservada nos Arquivos Nacionais e pode ser desclassificada em partes a partir de 2029.

Verificado por RJ983

Conteúdo traduzido

Ver fonte




Mostrar mais

CMIO

Conselho de Mídia Independente - Grupo independente, de atuação jornalística; baseado em SP. Replica e elabora conhecimentos e assuntos de utilidade pública.

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.