Mundo

Facebook denunciou usuários ao FBI – mídia — CMIO

Expressar crenças ‘anti-autoridade’ em mensagens no Facebook pode desencadear uma investigação do FBI, disseram fontes do DOJ ao New York Post

O Facebook tem relatado usuários à unidade de terrorismo doméstico do FBI por nada mais do que sentimento anti-autoridade, informou o New York Post na quarta-feira, citando fontes do Departamento de Justiça (DOJ).

Facebook fornece ao FBI conversas privadas que são protegidas pela Primeira Emenda sem qualquer intimação”, alegaram as fontes, explicando que isso é feito “fora do processo legal e sem causa provável.”

Apenas expressar preocupação com a legitimidade dos resultados das eleições de 2020 nos EUA foi suficiente para sinalizar os usuários, disseram eles.

Trechos dessas mensagens, muitas vezes destacando o “comentários mais notórios fora de contexto,” foram oferecidos aos escritórios de campo próximos do FBI como “conduz.”

Ao recebê-los, os escritórios locais poderiam solicitar intimações do escritório do procurador dos EUA parceiro para obter legalmente as mensagens privadas que já haviam sido mostradas pelo Facebook fora do processo legal, alegaram as fontes do Post.


Zuckerberg diz que Facebook censurou história de Hunter Biden após aviso do FBI

Nenhuma das investigações subsequentes do FBI revelou qualquer atividade criminosa ou violenta, disseram as fontes.

Foi um desperdício do nosso tempo”, uma fonte reclamou, descrevendo um “frenesi” de pedidos de intimação e outras atividades nos últimos 19 meses com o objetivo de respaldar as reivindicações feitas pelo governo do presidente Joe Biden sobre a ameaça representada pelo terrorismo doméstico após o motim de 6 de janeiro.

Os usuários visados ​​pelo Facebook para esse tipo de vigilância eram todos “americanos armados e de sangue vermelho que ficaram com raiva após a eleição e atiraram na boca e falaram sobre a realização de protestos”, disse a fonte, acrescentando que havia “nada criminoso, nada sobre violência ou massacrar ou assassinar alguém.

O Facebook inicialmente chamou as alegações das fontes do DOJ de “falso” antes de divulgar uma segunda declaração ao Post uma hora depois, caracterizando-os como “errado”, insistindo que o relacionamento da empresa com o FBI era “projetado para proteger as pessoas de danos” em vez de “fornecer proativamente” aplicação da lei com os nomes dos usuários que expressam sentimentos antigovernamentais.

Examinamos cuidadosamente todas as solicitações governamentais de informações de usuários para garantir que sejam legalmente válidas e personalizadas e, muitas vezes, recuamos”, disse Erica Sackin, porta-voz da empresa-mãe Meta, no comunicado.

O FBI admitiu que recebe informações “com valor investigativo” de provedores de mídia social e que “mantém um diálogo contínuo para permitir uma troca rápida de informações sobre ameaças”, mas não confirmou nem negou as alegações específicas feitas pelos denunciantes do DOJ.

Verificado por RJ983

Conteúdo traduzido

Ver fonte




Mostrar mais

CMIO

Conselho de Mídia Independente - Grupo independente, de atuação jornalística; baseado em SP. Replica e elabora conhecimentos e assuntos de utilidade pública.

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.