Mundo

NYT: ante tentativas ocidentais de isolar Moscou, Rússia e Arábia Saudita reforçam parceria


Enquanto os Estados Unidos, o Canadá e vários países europeus cortaram as importações de petróleo da Rússia, a Arábia Saudita dobrou a quantidade de combustível que estava comprando da Rússia para suas usinas, liberando seu próprio petróleo bruto para exportação.
Além disso, este mês, a Rússia e a Arábia Saudita implementaram uma medida para que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e seus produtores aliados reduzissem as metas de produção, em um esforço para sustentar os preços globais do petróleo, que estavam caindo, uma decisão que deve aumentar os lucros de ambas as nações.

“A posição saudita está aquém de uma aliança política entre o príncipe herdeiro Mohammed bin Salman da Arábia Saudita e o presidente Vladimir Putin da Rússia, mas fica evidente que os dois líderes estabeleceram um acordo que beneficia ambos os lados”, diz o artigo no The New York Times.

“Obviamente, os laços entre ambos os países estão se aprofundando”, disse Bill Richardson, ex-secretário de energia dos EUA e embaixador nas Nações Unidas.
“Trabalhando mais estreitamente com a Rússia, os sauditas estão efetivamente dificultando as medidas dos Estados Unidos e da União Europeia para isolar Putin. À medida que a Europa se prepara para reduzir consideravelmente o petróleo que importa da Rússia, a Arábia Saudita e países como a China e a Índia estão entrando como compradores,” enfatiza o embaixador.
Depois que os preços do petróleo caíram no final de 2014 e 2015, Moscou e Riad colaboraram para impedir que as empresas americanas dominassem o mercado global de energia.
“Os russos e os sauditas têm um interesse semelhante em aumentar o preço do petróleo, e o conflito na Ucrânia só reforçou isso”, disse Bruce Riedel, ex-analista do Oriente Médio da Agência Central de Inteligência e autor de “Reis e Presidentes: Arábia Saudita e Estados Unidos desde Roosevelt”.
Panorama internacional

Autoridade de energia russa diz que produção global de petróleo padece devido à política ocidental

As autoridades sauditas descobriram que a Rússia é um parceiro útil na gestão da OPEP+, um grupo muitas vezes frágil e com ideias diferentes de como gerenciar suprimentos e preços de petróleo. Ao anunciar um pequeno corte de produção este mês, a OPEP+ demonstrou sua independência do presidente Biden, que visitou a Arábia Saudita em julho.
“Essas decisões estão protegendo os próprios interesses comerciais da Arábia Saudita e fazem tremendo sentido do próprio ponto de vista econômico da Arábia Saudita”, disse Sadad Ibrahim Al Husseini, ex-executivo da Saudi Aramco.
“Anos de política energética esquizofrênica na Europa e nos EUA resultaram em vulnerabilidades significativas de segurança energética, às quais os grandes produtores estão se adaptando”, disse Badr H. Jafar, presidente da Crescent Petroleum, uma companhia petrolífera nos Emirados Árabes Unidos. “E o tabuleiro de xadrez de energia provavelmente continuará mudando nos meses e anos que virão,” afirma.
“Este grande investimento saudita no setor energético russo é um esforço para alinhar ainda mais os interesses sauditas e russos na manutenção dos preços”, disse Gregory Gause, especialista em Política do Oriente Médio na Universidade Texas A&M.



Este conteúdo foi verificado por RJ-2309 RJ-0292 RJ-0958

CMIO confirmou esta notícia. Fonte;

Via Sputnik News- IMG Autor




Mostrar mais

CMIO

Conselho de Mídia Independente - Grupo independente, de atuação jornalística; baseado em SP. Replica e elabora conhecimentos e assuntos de utilidade pública.

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.