Mundo

Estrangeiros na Cisjordânia devem informar Israel sobre casos de amor com palestinos

  Fact-checking   Autentic   DMCA   Report







As novas regras do Estado judeu sobre relacionamentos amorosos de estrangeiros com palestinos entrarão em vigor na próxima semana.
Elas exigem que os visitantes que entrem na Cisjordânia declarem se “formaram um casal” com um palestino, ou mesmo se estão em um relacionamento com eles.
As novas restrições, escreve o The Times os Israel, foi alvo de críticas e provavelmente dificultará futuras visitas de estrangeiros à região.
Panorama internacional

CIA não encontra evidências de ‘terror’ em organizações palestinas denunciadas por Israel

As regras (que não se aplicam aos que visitam assentamentos israelenses na Cisjordânia) devem entrar em vigor na segunda-feira, depois de terem sido adiadas duas vezes por contestações legais.
O novo livro de regras foi elaborado pelo Ministério da Defesa de Israel, em uma autarquia responsável pelos assuntos civis palestinos.
De acordo com os regulamentos, publicados pela primeira vez em fevereiro, um estrangeiro casado com um palestino, planejando se casar com um ou entrar em um relacionamento com um, deve notificar o ministério.
Tropas israelenses detêm homem palestino depois que colonos judeus impediram que crianças palestinas entrassem em uma escola no vilarejo de Al-Lubban al-Sharqiya, perto da cidade de Nablus, na Cisjordânia, em 28 de novembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 02.09.2022

Panorama internacional

Palestino esfaqueia soldado israelense e é baleado (VÍDEO)

Além disso, se o relacionamento começar depois que um estrangeiro chegar à Cisjordânia, eles devem notificar as autoridades israelenses dentro de 30 dias do noivado, casamento ou início da coabitação.
Se seu status de relacionamento não for formalizado em 90 dias, sua permissão israelense expirará e o estrangeiro será obrigado a deixar o país imediatamente, de acordo com as regras.
Independentemente de formalizar seu status, a permissão israelense só pode ser estendida por até 27 meses. Depois disso, o estrangeiro teria que deixar o país para um período de reflexão de seis meses.
As medidas também irão restringir significativamente a capacidade dos estrangeiros de estudar, ser voluntário ou trabalhar na Cisjordânia, em um grande golpe para os programas de intercâmbio estudantil operados pela União Europeia, entre outros.
Presidente da Palestina Mahmoud Abbas - Sputnik Brasil, 1920, 16.08.2022

Panorama internacional

Em Berlim, presidente da Palestina é criticado por dizer que Israel cometeu ‘holocaustos’



Este conteúdo foi verificado por RJ-2309 RJ-0292 RJ-0958

CMIO confirmou esta notícia. Fonte;

Via Sputnik News- IMG Autor

  Fact-checking   Autentic   DMCA   Report






Mostrar mais

CMIO

Conselho de Mídia Independente - Grupo independente, de atuação jornalística; baseado em SP. Replica e elabora conhecimentos e assuntos de utilidade pública.

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.