Mundo

Alemanha está dividida: políticos estaduais voltam a apelar para Berlim negociar com Rússia


17 burgomestres e ober-burgomestres (prefeitos), junto com ativistas do partido Eleitores Livres, assinaram uma declaração oficial em que apoiam a posição do primeiro-ministro da Saxônia, Michael Kretschmer, sobre a retoma das negociações com a Rússia. Além disso, os políticos insistem em estudar de forma objetiva os danos reais causados pelas sanções antirussas à economia alemã.

“Isso é uma loucura. Conversamos com pessoas que não sabem como vão pagar as contas da eletricidade, entendemos claramente as suas preocupações e levamo-las muito a sério”, salientou o burgomestre da cidade de Bischofswerda, Holm Grosse.

Panorama internacional

Scholz admite que Alemanha não pode interromper todas as importações de gás russo

“O primeiro-ministro tem muita razão ao se manifestar a favor do descongelamento da crise. É que nós, alemães, temos a responsabilidade histórica de fazer todo o possível a fim de pausar o conflito e, na melhor hipótese, pôr fim a ele”, afirmou o ober-burgomestre da cidade de Grimma, Matthias Berger.

Berger acrescentou que “os cidadãos alemães não entendem por que é que o governo só fala do fornecimento de armas, em vez da diplomacia”.
Após o início da operação especial russa para desmilitarizar e desnazificar a Ucrânia, o Ocidente tomou o lado de Kiev no conflito e endureceu a pressão sancionatória contra Moscou, tendo começado a fornecer armas pesadas à Ucrânia. Contudo, tais medidas afetaram o próprio Ocidente mais do que a Rússia. Assim, a imposição das sanções à Rússia provocou o aumento dos preços dos alimentos e dos combustíveis por toda a Europa.
Chanceler da Alemanha, Olaf Scholz, e o ministro da Economia do país, Robert Habeck, na cúpula em Berlim, 14 de junho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 17.08.2022

Panorama internacional

Berlim: desenvolvimento da Alemanha baseou-se no gás russo barato, mas modelo falhou e não voltará



Este conteúdo foi verificado por RJ-2309 RJ-0292 RJ-0958

CMIO confirmou esta notícia. Fonte;

Via Sputnik News- IMG Autor




Mostrar mais

CMIO

Conselho de Mídia Independente - Grupo independente, de atuação jornalística; baseado em SP. Replica e elabora conhecimentos e assuntos de utilidade pública.

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.