Mundo

EUA e UE impedem redução dos preços nos mercados de produtos alimentícios, diz Moscou


Conforme disse em entrevista à Sputnik o diretor do Departamento para o Oriente Médio e África do Norte, Aleksandr Kinschak, “apesar das restrições ilegítimas do Ocidente, a Rússia cumpriu e cumprirá de boa fé os compromissos assumidos sobre as entregas de produtos alimentícios para África e Oriente Médio”.
Contudo, de acordo com suas palavras, para que a situação se normalize completamente, é preciso cancelar todas as sanções relativamente ao transporte e seguro das exportações russas e assegurar a livre realização de pagamentos bancários.

“Mas, por enquanto, os europeus e norte-americanos não querem fazê-lo, impedindo que haja mais alimentos nos mercados mundiais e que os preços baixem. Ao mesmo tempo, eles continuam promovendo notícias falsas de que a Rússia provocou ‘a fome mundial'”, ressaltou ele.

Em 22 de julho, foram assinados em Istambul acordos multilaterais sobre o cancelamento das restrições às exportações de produtos alimentícios russos e sobre o transporte em navios de grãos ucranianos. O acordo firmado pelos representantes da Rússia, Turquia, Ucrânia e ONU prevê a exportação de grãos ucranianos, bem como de outros alimentos e fertilizantes, através de três portos do mar Negro, inclusive Odessa.
Panorama internacional

Portos fechados, inflação e fome: onde o sistema de segurança alimentar global falhou?



Este conteúdo foi verificado por RJ-2309 RJ-0292 RJ-0958

CMIO confirmou esta notícia. Fonte;

Via Sputnik News- IMG Autor




Mostrar mais

CMIO

Conselho de Mídia Independente - Grupo independente, de atuação jornalística; baseado em SP. Replica e elabora conhecimentos e assuntos de utilidade pública.

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.