Mundo

Twitter permite edição de posts, mediante taxa — CMIO

Após anos de pedidos de sua base de usuários, o Twitter finalmente está lançando uma função de ‘editar tweet’, revelou a empresa em um postagem do blog na quinta feira. No entanto, os usuários comuns não precisam se inscrever.

Os tweets poderão ser editados algumas vezes nos 30 minutos seguintes à sua publicação”, explicou o Twitter no post anunciando o novo recurso, acrescentando que os tweets editados seriam claramente marcados com um “ícone, carimbo de data/hora e rótulo para que fique claro para os leitores que o tweet original foi modificado.” O rótulo incluirá um ‘histórico de edição’ no estilo da Wikipedia, descrevendo todas as versões anteriores, de modo a “proteger a integridade da conversa”, a plataforma tranquilizou os usuários.

Mas, apesar do regozijo popular que se pode esperar após a introdução da tão desejada capacidade de edição, o Twitter está mantendo-a fechada por enquanto. Atualmente em teste com um “pequeno grupo” para “capturar problemas iniciais”, a função de edição de tweets será lançada para “alguns assinantes do Twitter Blue” no final do mês. “Inicialmente, o teste será localizado em um único país e será expandido à medida que aprendermos e observarmos como as pessoas usam o Edit Tweet”, explicou a plataforma, insistindo “você nunca pode ser muito cuidadoso” com esse recurso.

O vice-presidente de produtos de consumo do Twitter, Jay Sullivan, admitiu no início deste ano que os usuários exigem um botão de edição mais alto do que qualquer outro recurso há anos. Enquanto outras grandes plataformas de mídia social, como Facebook e YouTube, permitem a edição de conteúdo após a publicação, o fundador e ex-CEO do Twitter Jack Dorsey se opôs à ideia, e a empresa continua preocupada com “uso indevido.”

CONSULTE MAIS INFORMAÇÃO:
Twitter criticado por reativação da política eleitoral dos EUA em 2020

Os assinantes do Twitter Blue pagam US$ 4,99 por mês por ‘benefícios’, incluindo a capacidade de recuperar tweets, organizar o conteúdo favorito em ‘Coleções’ e usar NFTs como imagens de perfil. A plataforma começou a oferecer o serviço em março passado e recentemente aumentou o custo da assinatura de US$ 2,99.

Você pode compartilhar esta história nas redes sociais:



Verificado por RJ983

Conteúdo traduzido

Ver fonte




Mostrar mais

CMIO

Conselho de Mídia Independente - Grupo independente, de atuação jornalística; baseado em SP. Replica e elabora conhecimentos e assuntos de utilidade pública.

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.