Mundo

MRE da Alemanha diz que Berlim quer 'ajudar' Ucrânia, mas está sem armas


Assim como outros países ocidentais, Berlim afirma estar ajudando a acabar com o conflito, mas o Kremlin apontou repetidamente que os carregamentos de armas apenas encorajam Kiev a ignorar qualquer solução diplomática.
A ministra das Relações Exteriores da Alemanha, Annalena Baerbock, admitiu que Berlim está com muito poucas armas e não pode enviar mais armamentos para a Ucrânia como prometido.
Em sua entrevista ao jornal Bild am Sonntag, Baerbock insistiu que Berlim está pronta para apoiar Kiev militar e financeiramente, mas simplesmente não pode enviar mais armas neste momento.
“Entendo que os ucranianos querem entregas mais rápidas e maiores. Mas não temos grandes quantidades de sistemas modernos e funcionais que são necessários no momento e prontos para entrega em nossos estoques no momento”, disse ela.
Operação russa na Ucrânia

Scholz: Alemanha se recusa a fornecer à Ucrânia armas para ataques contra Rússia

A ministra também lembrou a promessa da Alemanha de defender os Estados bálticos, além de destacar que Berlim precisa de armas. Baerbock continuou sugerindo que Kiev vai precisar de suprimentos de armas por um longo período, potencialmente por mais de um ano.
“É claro que eu gostaria que [o conflito] terminasse o mais rápido possível, mas, infelizmente, temos que assumir que no próximo verão a Ucrânia ainda precisará de novas armas pesadas”, disse ela.
A Alemanha continua sendo um dos principais doadores de assistência militar, com US$ 1,7 bilhão gastos ou prometidos para gastos futuros com armamentos para “ajudar” a Ucrânia a acabar com o conflito. A “ajuda” incluiu armamento antiaéreo Gepard e IRIS-T, lançadores de foguetes múltiplos Mars, obuses autopropulsados ​​Panzerhaubitze 2000, lançadores de mísseis de 70 mm e todos os tipos de munição, bombas e mísseis.
No entanto, a Rússia argumentou que as remessas de armas ocidentais apenas prolongam o conflito. O Kremlin destacou que desde que as primeiras armas começaram a chegar do Ocidente, Kiev abandonou todos os esforços para negociar um fim rápido e diplomático ao conflito que salvaria a vida de muitos ucranianos.



Este conteúdo foi verificado por RJ-2309 RJ-0292 RJ-0958

CMIO confirmou esta notícia. Fonte;

Via Sputnik News- IMG Autor




Mostrar mais

CMIO

Conselho de Mídia Independente - Grupo independente, de atuação jornalística; baseado em SP. Replica e elabora conhecimentos e assuntos de utilidade pública.

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.