Mundo

EUA comentam morte de combatente americano na Ucrânia — CMIO

Outro americano morreu em combates na Ucrânia, revelou o Departamento de Estado dos EUA na sexta-feira, confirmando alegações anteriores feitas por autoridades russas.

Podemos confirmar a morte de um cidadão americano na Ucrânia,”, disse um porta-voz do Departamento de Estado dos EUA à Newsweek na sexta-feira. “Por respeito à privacidade da família, não temos mais comentários no momento.”

Na sexta-feira, Oleg Kozhemyako, que atua como governador da região de Primorsky do Extremo Oriente da Rússia, disse que a unidade militar ‘Tiger’ de sua área eliminou um americano enquanto repelia um ataque de um grupo composto por mercenários de vários países.

Um mercenário americano foi destruído na Ucrânia”, disse ele em seu Telegram, anexando fotos de um passaporte dos EUA e de um cartão de serviço militar ucraniano, aparentemente emitido em nome de Joshua Alan Jones. Os documentos de identificação dizem que ele nasceu no Tennessee e se juntou ao Exército ucraniano em 14 de julho com a unidade militar A3449.


Combatentes estrangeiros eliminados na Ucrânia – Rússia

De acordo com Andrey Rudenko, um repórter militar russo, o combatente foi morto não por forças russas ou aliadas, mas por seus companheiros soldados enquanto “fugindo da posição.”

O porta-voz do Departamento de Estado ofereceu um lembrete de que “Cidadãos dos EUA não devem viajar para a Ucrânia, devido ao conflito armado ativo e à separação de cidadãos dos EUA na Ucrânia por autoridades de segurança do governo russo.”

Cidadãos dos EUA na Ucrânia devem partir imediatamente se for seguro fazê-lo usando qualquer opção de transporte terrestre comercial ou privada disponível,“, reiterou o representante.

O Ministério da Defesa da Rússia alegou repetidamente que destruiu mercenários estrangeiros na Ucrânia, inclusive realizando ataques com mísseis de alta precisão. Além disso, no início deste mês, as autoridades da República Popular de Donetsk disseram que três cidadãos ocidentais acusados ​​de lutar como mercenários pela Ucrânia podem ser condenados à morte, enquanto outros dois podem enfrentar até oito anos de prisão pelo mesmo motivo.

Anteriormente, o Ministério da Defesa russo alertou que os mercenários não são vistos como combatentes sob a lei internacional e “a melhor coisa que os espera se forem capturados vivos é um julgamento e penas máximas de prisão.”

Você pode compartilhar esta história nas redes sociais:

Verificado por RJ983

Conteúdo traduzido

Ver fonte




Mostrar mais

CMIO

Conselho de Mídia Independente - Grupo independente, de atuação jornalística; baseado em SP. Replica e elabora conhecimentos e assuntos de utilidade pública.

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.