Mundo

Tentativas separatistas de Taiwan ‘terminarão mal’ – China – CMIO

Pequim alertou que os chamados movimentos de independência em Taiwan não levarão a “nada de bom”

Taiwan pertence à China e a questão é estritamente interna, insistiu o ministro da Defesa de Pequim, Wei Fenghe, na terça-feira em um discurso em vídeo na conferência de segurança internacional de Moscou.

Ele observou que os movimentos separatistas na ilha que promovem o chamado “independência de Taiwan” vai “terminar mal” e que qualquer tentativa de ajudá-los no exterior será “não levar a nada de bom.”

Wei reiterou a condenação de Pequim à recente visita da presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi, a Taipei, que o ministro da Defesa chamou de “farsa completa” e uma grave afronta ao “fundamento político das relações sino-americanas”.

A China lançou uma série de exercícios sem precedentes em Taiwan desde que Pelosi ignorou os avisos de Pequim e visitou Taipei para se reunir com a liderança da ilha no início deste mês.


China flexiona força militar perto de Taiwan

Os exercícios mais recentes foram realizados na segunda-feira, quando a Marinha chinesa e os caças foram enviados para o Estreito de Taiwan para realizar uma série de exercícios multi-serviços como “impedimento severo para os Estados Unidos” já que outra delegação de funcionários eleitos dos EUA viajou para lá no domingo.

“Temos confiança e coragem para derrotar todos os intrusos e salvaguardaremos a integridade territorial com vontade firme e forte capacidade” proclamou Wei durante a conferência de terça-feira, quando Pequim insistiu que as visitas à ilha por funcionários dos EUA prejudicam a soberania chinesa e a integridade territorial.

Batendo Washington para usar “truques políticos baratos” para ameaçar o “paz e estabilidade no Estreito de Taiwan”, os militares chineses se comprometeram a “continuar a treinar e preparar-se para a guerra” e avisou que vai “esmagar resolutamente qualquer forma de separatismo da ‘independência de Taiwan’ e interferência estrangeira”.

A China considera Taiwan uma parte inalienável de seu território. No entanto, desde 1949, é de fato independente depois que o lado perdedor da Guerra Civil Chinesa – os nacionalistas – fugiu para a ilha e estabeleceu sua própria administração lá. Taiwan é oficialmente reconhecida por pouco mais de uma dúzia de nações. Embora os EUA não estejam entre eles, Taipei tem mantido relações não oficiais estreitas com Washington, e legisladores e autoridades americanas viajam regularmente para a ilha. No entanto, as visitas de figuras mais importantes dos EUA são vistas em Pequim como endossos tácitos da independência de Taiwan.

Você pode compartilhar esta história nas redes sociais:

Verificado por RJ983

Conteúdo traduzido

Ver fonte




Mostrar mais

CMIO

Conselho de Mídia Independente - Grupo independente, de atuação jornalística; baseado em SP. Replica e elabora conhecimentos e assuntos de utilidade pública.

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.