Mundo

Ataque de drone atinge base dos EUA — CMIO

A base militar de al-Tanf, no sul da Síria, foi atingida por vários drones armados na manhã de segunda-feira, e os militares dos EUA não relataram vítimas. A base, usada por forças americanas e aliadas, bem como por militantes antigoverno sírios, já foi atacada antes, com Washington culpando o Irã pelos ataques.

De acordo com a Operação Inherent Resolve, missão liderada pelos EUA na Síria, a base foi atingida por “um ataque por vários sistemas aéreos não tripulados” pouco depois do amanhecer de segunda-feira. As forças da coalizão impediram o impacto de um dos drones, enquanto um segundo detonou dentro da parte da base operada por militantes sírios patrocinados pelos EUA.

A detonação resultou em “zero baixas ou danos relatados”, os EUA disseram, enquanto outras tentativas de ataque “não tiveram sucesso”.

Al-Tanf está situado a apenas 24 quilômetros da fronteira da Síria com o Iraque, em um trecho do deserto sírio controlado por milícias que se opõem ao presidente Bashar Assad. A região está ocupada por forças americanas e aliadas desde 2016 e ainda abriga um pequeno contingente de tropas americanas e um grupo maior de militantes sírios.


Três mortos em ataques aéreos israelenses, diz Síria

Damasco considera ilegal a presença dos EUA em al-Tanf e, juntamente com a Rússia, pediu a retirada total das forças americanas de lá.

O ataque à base ocorreu horas depois que a mídia estatal síria informou que aviões israelenses lançaram uma série de ataques aéreos contra alvos perto da capital, Damasco, e da cidade costeira de Tartus, que abriga uma base naval russa. Israel não comentou os ataques, enquanto a agência de notícias SANA disse que três soldados foram mortos e outros três ficaram feridos.

Não está claro quem executou o ataque a al-Tanf, ou se o ataque com drone foi planejado como vingança pelos ataques israelenses anteriores. Al-Tanf, no entanto, já foi alvejado dessa maneira antes.

Um caça britânico derrubou um drone perto da base em dezembro passado, dois meses depois que uma enxurrada de foguetes e drones deixou a instalação severamente danificada. Os militares dos EUA culparam as milícias xiitas apoiadas pelo Irã pelo ataque.

A situação militar no sul da Síria é complexa, marcada por alianças e objetivos sobrepostos. Tanto a Rússia quanto a coalizão dos EUA entraram na Guerra Civil Síria para derrotar o grupo terrorista Estado Islâmico (EI, antigo ISIS). Com quase todos os ganhos militares e territoriais do EI desde 2014 revertidos, os EUA continuam aliados a grupos rebeldes, enquanto a Rússia se juntou aos combates a convite do governo Assad. Damasco considera ilegal a presença dos EUA no país.

Acredita-se que o Irã patrocine vários grupos armados que se opõem aos rebeldes pró-EUA.

A Rússia atacou a guarnição de al-Tanf em junho, atingindo um posto avançado de combate usado pelos rebeldes aliados dos EUA. A América foi avisada com antecedência sobre o ataque, que autoridades russas disseram ter sido lançado após um ataque a bomba na estrada pelos militantes.

Você pode compartilhar esta história nas redes sociais:

Verificado por RJ983

Conteúdo traduzido

Ver fonte




Mostrar mais

CMIO

Conselho de Mídia Independente - Grupo independente, de atuação jornalística; baseado em SP. Replica e elabora conhecimentos e assuntos de utilidade pública.

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.