Mundo

Obama manteve documentos nucleares confidenciais também – Trump – CMIO

O ex-presidente acusou seu antecessor de fazer a mesma coisa que supostamente invadiu sua casa na Flórida

O ex-presidente dos EUA, Donald Trump, criticou o aparente duplo padrão em jogo depois que o FBI invadiu sua casa na Flórida no início desta semana, supostamente buscando documentos confidenciais relacionados a armas nucleares. Trump argumentou que seu antecessor, Barack Obama, havia retirado cerca de 33 milhões de páginas de documentos – muitos classificados, alguns relacionados a energia nuclear – sem um sussurro de protesto da agência quando deixou a Casa Branca.

O presidente Barack Hussein Obama manteve 33 milhões de páginas de documentos, muitos deles confidenciais. Quantos deles pertenciam ao nuclear? A palavra é, muito!”, declarou Trump em comunicado divulgado a seus seguidores na sexta-feira.

Mais cedo na sexta-feira, Trump disse que o “questão de armas nucleares” foi “uma farsa, assim como a Rússia, a Rússia, a Rússia foi uma farsa, dois impeachments foram uma farsa, a investigação de Mueller foi uma farsa e muito mais.” Ele sugeriu que o FBI pode ter plantado informações, alegando que seus advogados não tinham permissão para “chegue perto” para os agentes que fazem a busca.


Procurador-geral dos EUA enfrenta impeachment por invasão à casa de Trump

O FBI invadiu a propriedade do ex-presidente em Palm Beach Mar-a-Lago na segunda-feira, uma experiência que ele descreveu como “assalto” e a “armamento do sistema de justiça.” Trump pediu a liberação de todos os documentos que autorizam a busca, que foi aprovada pessoalmente pelo procurador-geral Merrick Garland na quinta-feira.

Fontes que disseram estar familiarizadas com a pesquisa disseram ao Washington Post na quinta-feira que “documentos classificados relacionados com armas nucleares” estavam entre os itens procurados, embora se recusassem a especificar se as informações envolviam armas americanas ou pertencentes a algum outro país. Eles não revelaram se os agentes encontraram o que procuravam durante a busca.

Um inventário escrito não lacrado por um juiz federal na sexta-feira revelou que o FBI levou 20 caixas de itens de Mar-a-Lago, incluindo quatro conjuntos de documentos ultra-secretos e sete conjuntos de documentos confidenciais. O mandado deu ampla autorização à agência para pesquisar “todas as estruturas ou edifícios da propriedade” no qual “caixas ou documentos podem ser armazenados” e pediu aos agentes que apreendessem todos os “documentos físicos e registros que constituam provas, contrabando, frutos do crime ou outros itens ilegalmente possuídos em violação de três crimes potenciais, incluindo uma parte da Lei de Espionagem que proíbe a coleta, transmissão ou perda de informações de defesa nacional.” Poucas especificações estavam disponíveis quanto ao conteúdo dos documentos apreendidos, além de uma referência a pastas de fotos e “informações sobre o presidente da França.

CONSULTE MAIS INFORMAÇÃO:
A operação do FBI na residência de Trump mostra de que lado a lei realmente está

Em relação à suposta apropriação de documentos confidenciais por Obama, a Administração Nacional de Arquivos e Registros assumiu a responsabilidade na sexta-feira por ter “assumiu a custódia legal e física exclusiva dos registros presidenciais de Obama”, alegando ter movido 30 milhões de páginas de “registros não classificados” para uma instalação mantida pela agência na área de Chicago, mantendo os materiais confidenciais do ex-presidente na área de Washington DC. Os documentos não classificados serão eventualmente guardados em uma biblioteca presidencial em Chicago, afirmou a NARA.

Verificado por RJ983

Conteúdo traduzido

Ver fonte




Mostrar mais

CMIO

Conselho de Mídia Independente - Grupo independente, de atuação jornalística; baseado em SP. Replica e elabora conhecimentos e assuntos de utilidade pública.

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.