Mundo

Suécia vai extraditar turco após acordo da Otan — CMIO

Autoridades se recusaram a dizer se a medida fazia parte de um acordo para garantir a aprovação de Ancara para ingressar no bloco

A Suécia deve extraditar para a Turquia um homem procurado por fraude, o primeiro caso desse tipo desde que Estocolmo concordou em deportar dezenas de pessoas procuradas por Ancara, enquanto busca a aprovação turca para ingressar na aliança da Otan.

O Ministério da Justiça sueco anunciou a decisão na quinta-feira, com o homem identificado em documentos judiciais como Okan Kale, de 35 anos, um cidadão turco acusado de fraude pelo menos duas vezes em seu país de origem.

“Esta é uma questão de rotina normal. A pessoa em questão é um cidadão turco e condenado por crimes de fraude na Turquia em 2013 e 2016”, O ministro da Justiça da Suécia, Morgan Johansson, disse à Reuters. “A Suprema Corte examinou a questão como de costume e concluiu que não há obstáculos à extradição.”

Embora o ministério tenha se recusado a dizer se o homem estava entre um grupo de pessoas procuradas por extradição pela Turquia – parte de um acordo para garantir a luz verde de Ancara antes de ingressar no bloco da Otan – uma lista dos indivíduos procurados publicada na mídia turca apresenta o nome de Kale.


Turquia adverte Otan esperançosa

Kale supostamente se mudou para a Suécia em 2016 e recebeu autorizações de residência e trabalho depois de se casar com uma mulher local, mas foi preso no ano passado depois que a Turquia entrou em contato com as autoridades suecas por meio da Interpol. De acordo com a emissora sueca SVT, Kale mantém sua inocência e afirma que foi condenado injustamente na Turquia porque é um cristão convertido, evitou o serviço militar obrigatório e tem herança curda.

No entanto, falando em uma entrevista coletiva na quinta-feira, o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu, afirmou que tanto a Suécia quanto a Finlândia, que também pretende se juntar ao bloco militar liderado pelos EUA, “não cumpriram seus compromissos”, pedindo “passos concretos” sobre as extradições.

“Eles propuseram realizar uma reunião em agosto, e esperamos realizar nossa primeira reunião em 26 de agosto”. ele adicionou.

Durante uma importante cúpula da OTAN realizada em Madri em junho, Estocolmo e Helsinque disseram que atenderiam às exigências de Ancara de extraditar dezenas de pessoas que vivem em seu solo, com o presidente turco Recep Tayyip Erdogan declarando mais tarde que a Suécia havia “prometido” deportar “73 terroristas”. Além de Kale, nenhum cidadão turco foi extraditado da Suécia desde então.

A Turquia já havia manifestado objeções à adesão de qualquer país à aliança. Entre outras queixas, Ancara alegou que abrigava membros de supostos grupos terroristas e reiterou suas reservas mesmo depois de fechar acordos com os dois estados nórdicos, deixando o destino de seus pedidos de adesão um tanto incerto.

Verificado por RJ983

Conteúdo traduzido

Ver fonte




Mostrar mais

CMIO

Conselho de Mídia Independente - Grupo independente, de atuação jornalística; baseado em SP. Replica e elabora conhecimentos e assuntos de utilidade pública.

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.