Mundo

Gigante de doces pede desculpas à China — CMIO

A Mars Wrigley postou um pedido de desculpas na sexta-feira depois de comercializar uma nova variedade de barra Snickers disponível no mercado. “países” da Coreia do Sul, Malásia e Taiwan. De acordo com Pequim, a empresa alterou suas postagens nas redes sociais e afirmou a “soberania e integridade territorial”.

Em uma série de anúncios de mídia social no início deste mês, Mars Wrigley promoveu uma nova linha de embalagens Snickers adornadas com letras da boyband sul-coreana BTS. As embalagens de edição limitada só chegariam às prateleiras da Coreia do Sul, Malásia e Taiwan, um anúncio em vídeo explicou.

O anúncio rapidamente se tornou viral no Weibo, uma plataforma de mídia social chinesa, com usuários apontando que Taiwan havia sido listada como uma dessas três. “países.”

Enquanto Taiwan se governa desde 1949, Pequim reivindica soberania sobre a ilha. Os EUA reconhecem formalmente essa soberania (a política de ‘Uma China’), mas mantêm relações informais com Taipei independentemente. As tensões entre a China e os EUA estão atualmente em um mínimo histórico, após uma visita à ilha pela presidente da Câmara, Nancy Pelosi, nesta semana, que Pequim condenou como “uma grave violação da política de Uma China” e respondeu com exercícios militares em larga escala, restrições comerciais a Taiwan e sanções a Pelosi e sua família.

CONSULTE MAIS INFORMAÇÃO:
China corta relações com EUA em questões críticas

A China também cortou laços com os EUA em várias áreas importantes, incluindo mudanças climáticas, segurança marítima e outros setores militares.

Em meio a protestos no Weibo, Mars Wrigley pediu desculpas na sexta-feira, afirmando que eliminaria qualquer menção à nacionalidade taiwanesa de sua campanha publicitária. O diplomata chinês Zhang Meifang disse que a empresa insistiu que “respeita a soberania nacional e a integridade territorial da China”.

Lar de cerca de 1,4 bilhão de pessoas, a China é um mercado enorme e a Mars Wrigley não é a única marca global a se ajoelhar a Pequim em resposta a um clamor público.

Entre as dezenas de empresas que pediram desculpas aos consumidores chineses nos últimos anos estão a Dior, por compartilhar um mapa da China que excluía Taiwan; a Liga Nacional de Basquete (NBA), por um tweet do gerente do Houston Rockets, Daryl Morey, apoiando os protestos de 2019 em Hong Kong; e Swarovski, Calvin Klein, McDonalds e Delta Airlines, todos por se referirem a Hong Kong ou Taiwan como países independentes.

Você pode compartilhar esta história nas redes sociais:



Verificado por RJ983

Conteúdo traduzido

Ver fonte




Mostrar mais

CMIO

Conselho de Mídia Independente - Grupo independente, de atuação jornalística; baseado em SP. Replica e elabora conhecimentos e assuntos de utilidade pública.

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.