Mundo

Devido à escassez de energia, Alemanha pode vir a registrar protestos em massa, diz ARD


Conforme a edição, o governo de Olaf Scholz tem medo do aumento dos ânimos radicais em meio às tensões sociais e ao aumento dos preços dos alimentos e da energia. Os autores do programa de TV compararam os protestos que estão se aproximando com os organizados pelos opositores das restrições de COVID-19.
Agora em Berlim já se fala de ações com slogans como “Rebelião” e “Guerra Civil”. Entre os possíveis instigadores de novos protestos pode estar a organização Querdenker (Pensamento Não Convencional), cujos simpatizantes a mídia tem suspeitado de manterem laços com os grupos da extrema direita.
Além da capital, também se observam ações de protesto em outros estados federais alemães, sendo entre eles a Baviera e a Saxônia. Esta também é indicada como um eventual epicentro de futuros protestos.
Panorama internacional

Sem gás russo, indústria alemã vai entrar em colapso, diz The Telegraph

O problema não é discutido apenas nos círculos jornalísticos. O ministro do Interior da Saxônia, Rudolf Schuster, comunicou que sua entidade está se preparando para vários cenários e apelou às autoridades federais para criar um grupo de gestão da crise, a fim de nivelar os efeitos do aumento dos preços da energia.

“A qualidade da gestão anticrise do governo federal vai ser um fator decisivo em meio às preocupações atuais e, consequentemente, às possíveis manifestações sociais”, disse o funcionário público.

A Alemanha e outros países ocidentais têm enfrentado um aumento dos preços da energia e uma inflação sem precedentes devido às sanções impostas contra Moscou e à recusa dos combustíveis russos. Ante o aumento dos preços dos combustíveis, especialmente do gás, as indústrias alemãs em muitos aspectos perderam as suas vantagens competitivas, o que também afetou outras esferas da maior economia europeia.
Sistemas de tubulação e válvulas de corte na estação receptora de gás do gasoduto Nord Stream, Lubmin, Alemanha - Sputnik Brasil, 1920, 05.08.2022

Panorama internacional

Fornecimento do gás através da Ucrânia não pode substituir Nord Stream, diz ministro canadense



Este conteúdo foi verificado por RJ-2309 RJ-0292 RJ-0958

CMIO confirmou esta notícia. Fonte;

Via Sputnik News- IMG Autor

Mostrar mais

CMIO

Conselho de Mídia Independente - Grupo independente, de atuação jornalística; baseado em SP. Replica e elabora conhecimentos e assuntos de utilidade pública.

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.