Mundo

O mundo está caminhando para a fome global? — RT Notícias de Negócios

O aumento dos preços dos grãos e as interrupções no fornecimento estão causando temores de uma crise iminente

O ministro da Agricultura da Rússia, Dmitry Patrushev, alertou na sexta-feira que o ministério vê riscos de a meta de colheita de grãos do país não ser alcançada este ano. A quantidade de grãos colhidos na Rússia até agora é menor do que no ano passado, disse ele. Isso pode forçar o ministério a rever seus planos de exportação de grãos, o que pode afetar negativamente o mercado global da commodity, acrescentou o ministro. A escassez de grãos já elevou os preços em todo o mundo e levantou preocupações de uma possível crise alimentar.

  1. O que está por trás do aumento dos preços dos grãos?
    Vários fatores se combinaram para impactar o fornecimento de grãos para o mercado global, alimentando assim as preocupações com a segurança alimentar. Entre eles estão a pandemia de Covid-19, a crise na Ucrânia e as subsequentes sanções contra a Rússia, além de fatores ambientais como a onda de calor recorde na Europa, que ameaça a colheita deste ano.
  2. Como o problema começou?
    As preocupações globais com a segurança alimentar foram levantadas pela primeira vez em 2020 durante a pandemia. A crise da saúde teve um impacto devastador na economia global, tanto diretamente quanto por meio de medidas governamentais destinadas a tentar retardar a propagação do vírus. A própria doença e os esforços para contê-la ainda estão causando interrupções no fornecimento de produtos agrícolas.
  3. Como os eventos na Ucrânia estão tendo impacto?
    O conflito na Ucrânia e as subsequentes sanções contra a Rússia limitaram as exportações agrícolas dos dois países, exacerbando significativamente o aumento global dos preços dos grãos que havia começado em meio à pandemia. Tanto a Rússia quanto a Ucrânia são grandes fornecedores de grãos para o mercado mundial.
  4. Qual foi o impacto das sanções anti-Rússia?
    Após o início da operação militar da Rússia na Ucrânia, os principais exportadores evitaram os portos do Mar Negro dos dois países, que são grandes centros de exportação de grãos. O problema é duplo: o conflito em si e o medo dos transportadores internacionais de enfrentar sanções secundárias por se apossar de grãos russos.
  5. E os portos ucranianos?
    Os embarques ucranianos de grãos foram afetados porque os portos restantes do país em Odessa e Chernomorsk foram minados em meio ao conflito em curso, que impediu a partida de cargas por cinco meses. No entanto, as negociações entre Rússia, Ucrânia, Turquia e ONU produziram um acordo que permitiu a retomada dos embarques. Os primeiros navios com grãos ucranianos deixaram um porto do Mar Negro na segunda-feira, seguidos por outros três navios na sexta-feira.
  6. Como os preços crescentes afetaram a oferta?
    Em resposta ao aumento dos preços dos grãos, os principais exportadores agrícolas, como a Índia e o Cazaquistão, foram forçados a interromper completamente as exportações de grãos para controlar os preços domésticos. Como consequência, muitas nações importadoras de grãos estão enfrentando o aumento dos preços dos alimentos e a escassez.
  7. Quais países enfrentam o maior impacto?
    O maior impacto do aumento dos preços dos alimentos foi sentido no Sri Lanka. A nação insular está em estado de agitação há vários meses, com alimentos e combustível em falta e os preços disparando. As tensões aumentaram em julho, quando milhares de manifestantes invadiram a residência do presidente, forçando-o a fugir. Os estados africanos e outros países mais pobres também enfrentam um problema crítico porque dependem das importações de grãos para alimentar suas populações.
  8. Como os países mais ricos são afetados pelo aumento dos preços dos alimentos?
    As nações desenvolvidas enfrentam seus próprios problemas. O aumento dos preços dos alimentos tem sido o principal motor da inflação e do aumento dos custos de vida, que já causaram uma dramática desaceleração econômica no Ocidente. Apesar das negações do governo Biden, a economia dos EUA entrou oficialmente em recessão após dois trimestres consecutivos de crescimento negativo do PIB. De acordo com as últimas projeções, o Reino Unido e a UE também estão à beira da recessão.

Você pode compartilhar esta história nas redes sociais:

Verificado por RJ983

Conteúdo traduzido

Ver fonte

Mostrar mais

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.